Mais 20 dias

Haddad planeja "unir os democratas do Brasil" em torno de sua candidatura

Em pronunciamento após a divulgação do resultado das eleições, candidato do PT ressalta riscos à Constituição de 1988

Read in English | Leer en español | Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
Haddad durante seu último ato de campanha no primeiro turno, na Bahia / Foto: Ricardo Stuckert

O candidato a presidente do PT, Fernando Haddad, se disse "extremamente honrado" pelos votos que recebeu no primeiro turno das eleições presidenciais, realizado neste domingo (7). Em pronunciamento após o anúncio de que haverá segundo turno entre ele e o candidato de extrema-direita Jair Bolsonaro (PSL), o ex-ministro da Educação ressaltou que "há muita coisa em jogo nesta eleição, é diferente do que aconteceu de 1989 para cá".

"O pacto da constituinte de 1988 está em jogo, por conta das ameaças que sofre quase diariamente. Queremos enfrentar esse debate muito respeitosamente. Vamos com uma única arma: o argumento. Nós não portamos armas, vamos com a força do argumento para defender o Brasil e o seu povo, sobretudo o povo mais dsofrido deste país, que espera responsabilidade social de todos nós", disse.

"Nós queremos unir os democratas do Brasil. Iniciaremos amanhã a campanha para sermos vitoriosos no segundo turno. Queremos unir o país em torno desse conceito", explicou Haddad, e concluiu celebrando "a democracia e a liberdade", "que são valores que tenho sempre, não abro mão dos meus valores. Vamos discutir frente a frente, olho no olho, sem medo de ser feliz. Viva o Brasil, viva a democracia e viva o povo brasileiro".

Nesta segunda-feira (8), Haddad segue para Curitiba, pela manhã, onde visitará o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e à tarde volta para São Paulo, onde ainda não tem uma agenda definida.

Edição: Diego Sartorato