PARAÍBA

Em João Pessoa, ato #HaddadSim leva 10 mil pessoas às ruas

O percurso foi da Praça do Coqueiral, no bairro de Mangabeira, até a Praça da Paz, no bairro dos Bancários

Brasil de Fato | João Pessoa (PB) |
Uma multidão se reuniu na Praça da Paz, no bairro do Bancários, em defesa da Democracia.
Uma multidão se reuniu na Praça da Paz, no bairro do Bancários, em defesa da Democracia. - Mídia Ninja

A jornalista Fátima Mana foi uma das milhares de mulheres que disse sim ao projeto do presidenciável Fernando Haddad, “Haddad Sim porque a proposta é ímpar. Não tem outro, né? A gente tá concorrendo com uma pessoa que não tem propostas e foge dos debates, não diz a que veio e quando abre a boca, a gente vê que vai atrapalhar o Brasil e vai ficar pior do que já está. A gente não espera que a população brasileira dê crédito a um candidato que tem uma arma como símbolo”, ressalta.

Fátima Mana deu apoio ao ato HaddadSim e é uma defensora das políticas implementadas pelos governos federais do PT / Foto: Angelina Oliveira.

Outra jornalista que caminhou até a praça da paz foi Ângela Costa, ela afirmou que seu voto é em Haddad e lembrou dos direitos das crianças e das mulheres em sua fala: “eu sou Haddad em defesa das políticas públicas, dos direitos trabalhistas, dos direitos das mulheres, pelas crianças e pela educação”, argumentou.
As pessoas se concentraram na Praça do Coqueiral, localizada no bairro de Mangabeira, levantando a bandeira da Democracia e lembrando a importância de se preservar os direitos sociais e políticos. "A eleição do candidato Fernando Haddad é crucial para que a liberdade de ir e vir, bem como a de expressão sejam mantidas numa conjuntura internacional, onde impera a onda neoliberal que devasta a riqueza de um país por onde quer que passe", relatou Danielle Alexa, integrante da Marcha Mundial das Mulheres e participante do ato #HaddadSim. 

Ângela Costa, além de participar do HaddadSim, levou seus caxixis para integrar as batucadas do ato. Foto: Angelina Oliveira.

O estudante universitário Diego Leite do curso de Engenharia de Tecnologia de Alimentos, da Universidade Federal da Paraíba, disse que estava na rua “pela educação e principalmente pelas políticas públicas sociais que estão sendo jogadas no ralo depois do golpe de 2016, pelo governo do presidente Michel Temer”, lembrou. De acordo com o estudante, o candidato Bolsonaro é uma ilusão e que o mesmo não tem nada de mito, muito pelo contrário, "Bolsonaro vai trazer de volta a ditadura e tirar todos os direitos que a população conseguiu com o governo do PT, desde o governo Lula", completou.

A batucada da Marcha Mundial das Mulheres animou o ato, desde a concentração do #HaddadSim, até o final do percurso. Foto: Angelina Oliveira

Ao batuque da Marcha Mundial das Mulheres, do Levante Popular da Juventude e de outras diversas expressões artísticas musicais da região, o público cantou “a Democracia vai ganhar” e mais uma vez podia-se ouvir livremente palavras de ordem por direitos, liberdade, contra a violência, tortura e a ditadura, todos evidenciados no #HaddadSim. O ato pela Democracia de ontem (20/10) foi um desdobramento do movimento espontâneo #EleNão, que aconteceu em várias capitais e cidades do Brasil e do mundo, e passou a ser uma data histórica de luta, o dia 29 de setembro. 
“Os eleitores do Bolsonaro só demonstram violência e ódio no peito pelo PT, entretanto estão cegos, pois não veem que o próprio Bolsonaro é corrupto”, opina a jornalista Fátima Mana. "A prova disso é o caixa dois da campanha do Bolsonaro que disseminou fake news financiados por grandes empresários interessados em cortar direitos dos trabalhadores", completou Mana. Em relação à avalanche de fake news, ou seja, notícias e informações mentirosas espalhadas no facebook e no whatsapp pela equipe de campanha de Bolsonaro, milhões de brasileiras e brasileiros aguardam da Justiça um posicionamento firme em relação às inverdades propagadas contra o candidato Fernando Haddad.
O músico percussionista Escurinho foi à Praça do Coqueiral e nos contou “a gente tá aqui junto com o povo paraibano para dizer que não aceitamos fascismo no nosso Brasil, então nosso voto é de Haddad e Manu 13”, destacou.

Escurinho, referência na cena musical da Paraíba, ecoou o grito pela Democracia nas ruas de João Pessoa. Foto: Angelina Oliveira.

O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, esteve no ato e fez um discurso em defesa da Democracia, durante o encerramento do evento, na Praça da Paz. “Eu peço a cada um que está aqui, que me escuta, que vote em defesa da Democracia e não em quem dissemina o ódio. Haddad vai revogar as medidas de Temer, que são contra os trabalhadores, enquanto Bolsonaro é um aliado de Temer e não representa nada de novo, muito pelo contrário, está há 28 anos como deputado e nada fez de importante”, disse.

Governador Ricardo Coutinho discursou na chegada do ato HaddadSim, no bairro dos Bancários. Foto: Reprodução.

A caminhada em João Pessoa além de aglutinar uma multidão, que seguiu até a Praça da Paz, ainda conseguiu a adesão de milhares de pessoas pelas ruas, comércios e usuários de transporte público, que gritavam: #Haddadsim e “Brasil urgente, Haddad presidente!


 

Edição: Heloisa de Sousa