Eleições 2018

Ciro Gomes pede que os brasileiros votem "com a democracia, contra a intolerância"

Durante o primeiro turno, então candidato do PDT disse que abandonaria a política se Jair Bolsonaro ganhasse as eleições

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
Ex-governador do Ceará é um crítico ferrenho de Jair Bolsonaro / Carl de Souza / AFP

O terceiro colocado nas eleições presidenciais Ciro Gomes (PDT) pediu hoje que os brasileiros votem "com a democracia, contra a intolerância e pelo pluralismo". O ex-governador do Ceará chegou ao Brasil ontem, após férias na Europa, e publicou um vídeo nas redes sociais neste sábado (27), véspera do segundo turno das eleições.

No pronunciamento, Ciro ressaltou a necessidade de se construir "um movimento que, por um lado, proteja a democracia brasileira, e do outro lado, proteja a sociedade mais pobre dos avanços contra os direitos". O candidato derrotado também pediu "que se protejam os interesses nacionais contra a cobiça estrangeira".

O posicionamento converge com os discursos recentes de Fernando Haddad (PT), que pede unidade contra o autoritarismo e pela democracia, e é contra a privatização do pré-sal.

Na noite de 7 de outubro, em que foi confirmada sua derrota eleitoral no primeiro turno, o presidenciável do PDT chegou a dizer "ele não", em referência a Jair Bolsonaro (PSL), mas acrescentou que aguardaria a posição oficial do partido para se posicionar oficialmente.

Ciro Gomes é um crítico ferrenho do candidato da extrema direita e, durante a campanha, prometeu abandonar a política se alguém despreparado como Jair Bolsonaro fosse eleito em 2018. O filho do ex-governador do Ceará, Yuri Gomes, declarou apoio a Haddad em sua redes sociais na última quinta-feira (26).

Edição: Daniel Giovanaz