VIOLÊNCIA

Eleitores de Bolsonaro ateiam fogo em acampamento do MST no Mato Grosso do Sul

Ataque aconteceu na noite deste sábado (27) e foi registrado como crime eleitoral; não houve nenhum ferido

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça a matéria:

Acampamento Sebastião Bilhar é composto por 240 famílias / Foto: Divulgação

O acampamento Sebastião Bilhar, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), localizado às margens da BR-262, próximo a Dois Irmãos do Buriti, no Mato Grosso do Sul, foi alvo de incêndio criminoso na noite deste sábado (27).

O crime aconteceu entre 20h e 21h. De acordo com testemunhas, antes de atear fogo no local, um grupo estava em uma caminhonete e gritaram “Bolsonaro”, nome candidato à presidência pelo PSL. Segundos depois, um dos barracos começou a pegar fogo. 

Apesar da grande perda material, os moradores conseguiram conter as chamas e ninguém se feriu. 

Segunda Marina Ricardo Nunes, da direção nacional do MST, os sem-terra do acampamento Sebastião Bilhar e o movimento como um todo, definem o episódio como um crime eleitoral. Para ela, episódios como esses serão ainda mais comuns caso Jair Bolsonaro se eleja.

“O estado do Mato Grosso do Sul é conservador, reacionário, um estado do agronegócio, onde os fazendeiros, o latifúndio, protagonizam uma ofensiva muito grande. Caso esse governo ganhe, isso foi só uma amostra. Se esse homem ganhar, a ofensiva vai ser muito pior”, lamenta Nunes.

A dirigente relata que, após o ataque, as famílias passaram o resto da noite em vigília, apreensivas, com medo de outro ato violento. 

“A perspectiva não é boa. Sabemos que o MST é alvo de prioridade desse governo. Nós, enquanto movimento, vamos pra rua sempre para denunciar todo tipo de atrocidade, de retirada de direitos. Nós resistiremos. Iremos sempre combater tudo isso, essas atrocidades. Não iremos nos calar. Não iremos nos intimidar”, reforça Marina Nunes. 

Crime eleitoral

Logo cedo neste domingo (28), os proprietários dos barracos queimados foram registrar um boletim de ocorrência no centro do município de Dois Irmãos do Buriti. A delegada responsável registrou o episódio como crime eleitoral e nesta tarde fará visita ao local para perícia e apuração dos fatos. 

O MST divulgou uma nota em repúdio ao atentado. “Nós do MST do estado do Mato Grosso do Sul, viemos expressar nossa indignação diante deste ato de violência, e dizer que é inaceitável o discurso fascista, que inspira ódio e violência entre a população. Mais uma vez somos alvos de ataque, por pessoas que reproduzem na pratica o discurso racista, fascista, homofóbico e violento pregado pelo presidenciável que está disposto a governar nosso país”, diz o texto.

Com 240 famílias, o Acampamento Sebastião Bilhar foi formado em 9 de julho de 2017. Homenageado na fundação do acampamento, Sebastião Bilhar, mais conhecido com “Tiãozão”, foi um militante histórico do Setor de Frente de Massas do MST do Mato Grosso do Sul. Sebastião dedicou toda sua vida à luta contra a desigualdade e a favor da Reforma Agrária Popular.

Edição: Pedro Ribeiro