Moreno

Presidente do Equador pede demissão de todo o gabinete ministerial

Desde 2017, foram substituídos ou renunciaram mais de 60% dos ministros, secretários nacionais e conselheiros do país

Presidente equatoriano Lenín Moreno durante discurso na Assembleia Geral da ONU em setembro / Bryan R. Smith / AFP

O presidente do Equador, Lenín Moreno, pediu na noite desta quinta-feira (22) a renúncia de todo o gabinete ministerial, de acordo com uma nota da Secretaria Nacional de Comunicação do país.

Segundo o comunicado, Moreno tem a intenção de realizar “um processo de avaliação durante as últimas semanas de 2018”, sobre o qual dará informações “oportunamente”.

Esta é a segunda vez em que o presidente equatoriano pede a renúncia de seus ministros. Da última vez em que fez essa avaliação, Moreno substituiu apenas um par de membros do conselho ministerial.

Entre os que já apresentaram sua demissão estão Richard Martínez, ministro de Economia e Finanças; Fander Falconí, ministro da Educação; e Andrés Michelena, secretário de Comunicação.

Moreno chegou ao poder em maio de 2017 e, desde então, foram substituídos ou renunciaram voluntariamente mais de 60% de seus ministros, secretários nacionais e conselheiros.

Edição: teleSUR | Tradução: Opera Mundi