Manobra

Vereadores descartam proposta de 9,48% solicitada pelos servidores em Curitiba

Texto excluiu as emendas que elevavam o índice para 9,48% e retornavam para março a data-base para as mesas de negociaçã

Porém.net | Curitiba (PR)

,
O último reajuste ocorreu em março de 2016, ainda no governo de Gustavo Fruet (PDT). / Julio Carignano

O prefeito Rafael Greca (PMN) apresentou um substitutivo (novo projeto) na manhã de hoje (26) sobre o reajuste dos servidores municipais. Esse texto manteve o percentual de 3%, mas excluiu as emendas que elevavam o índice para 9,48% e retornavam para março a data-base para as mesas de negociação. A manobra foi criticada pela oposição que, agora tem até o segundo turno (dia 27) para coletar 13 assinaturas e incluir na pauta novamente o índice solicitado pelos trabalhadores. O substitutivo foi aprovado por 27 votos contra 10.

O reajuste dos trabalhadores é retroativo a 31 de outubro de 2018. Ele aborda o período entre setembro de 2017 a setembro 2018 e abrange os servidores da ativa e inativa. Os secretários, vereadores e prefeitos não estão incluídos nessa lei.

Manobra

A vereadora professora Josete (PT) havia apresentado a emenda com o percentual de 9,48%. Ela baseou esse índice entre o período de março de 2017 a setembro de 2018, período em que os salários ficaram congelados. O último reajuste ocorreu em março de 2016, ainda no governo de Gustavo Fruet (PDT).

Josete protestou contra a manobra: “Quando é apresentada às 08h56, as emendas são descartadas, bem como todo o debate feito nas comissões, é um prejuízo para o debate”, cobrou.

Edição: Laís Melo