SOLIDARIEDADE

Vigília Lula Livre mantém a resistência a partir de doações físicas e online 

Mobilização permanente em defesa da liberdade de Lula está ativa há 238 dias

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Vigília Lula Livre tem programação diária, com rodas de conversa e atividades culturais / Joka Madruga/PT Nacional

Quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi preso na Superintendência da Polícia Federal de Curitiba, no dia 7 de abril, uma reunião de movimentos sociais que compõem a Frente Brasil Popular definiu que haveria permanentemente uma mobilização em defesa da liberdade de Lula. Desde então, a Vigília Lula Livre mantém-se ativa, com programação diária que vai desde rodas de conversas sobre temas políticos a atividades culturais. 

Nos primeiros meses, a Vigília ocupava as ruas do entorno da PF, no bairro Santa Cândida. A partir de julho, para respeitar o interdito proibitório que impedia a ocupação das ruas, a Vigília fixou-se em um terreno alugado, em frente ao prédio onde Lula é mantido preso há 238 dias. Dali, diariamente militantes fazem saudações de “bom dia”, “boa tarde” e “boa noite” ao ex-presidente. 

Para manter-se ativa, a Vigília Lula Livre depende de doações monetárias, de alimentos e materiais de higiene. As doações são compartilhadas também com outros espaços fixos que dão suporte à mobilização: o Centro de Formação e Cultura Marielle Vive, onde militantes fazem suas refeições diárias, e a Casa Lula Livre, onde ficam alojados. 

Qualquer pessoa pode levar sua doação fisicamente à Vigília, mas, para ampliar as possibilidades de apoio, desde o início da mobilização está ativa uma plataforma de doação online. Nela, qualquer pessoa física pode fazer uma doação única ou mensal, escolhendo valores entre R$ 25 e R$ 2000 ou preenchendo o valor desejado. As doações podem ser pagas por boleto bancário ou cartão de crédito ou débito.

“De mãos dadas, por justiça”

A aposentada Ana Cotia saiu de São Pedro da Aldeia, na região dos Lagos do Rio de Janeiro, para visitar a Vigília Lula Livre. Ela conta que chegou ao destino na segunda (26) e pretende passar a comemoração de Natal junto aos demais militantes da Vigília. Logo que chegou, Ana fez uma doação de R$ 100, para “ajudar com os custos de alimentação e hospedagem”. Ela diz que nunca foi cobrada de nenhuma forma, mas que achou justo contribuir com a manutenção do espaço. 

O motivo que levou Ana à Vigília foi a tristeza após o segundo turno das eleições, quando a aposentada sentiu-se “um peixe fora d’água” percebendo que muitos de seus parentes e amigos haviam votado no presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Ela decidiu, então, ir para a Vigília “aliviar a tristeza e encontrar pessoas que compartilham dos meus ideais”. 

“Estou muito feliz aqui, porque eu vejo tanta gente, pessoas tão diferentes irmanadas, de mãos dadas, lutando pela justiça. É mais do que [ser contra] a prisão de Lula, é por justiça, que não tem mais no Brasil, e pelos trabalhadores. A gente precisa se unir demais agora, porque as coisas que estão acontecendo mostram que não vem nada de bom”, conta Ana.

Outro visitante de longe é Dedivaldo Nascimento, que vem de Mossoró (RN). Ele chegou no domingo (25) e conta que “fez um esforço e gastou parte do 13º salário para chegar perto do presidente Lula”. Militante do Partido dos Trabalhadores (PT), Dedivaldo fala que, antes de conhecer a Vigília, não imaginava que o movimento fosse um espaço tão organizado. 

“É um negócio muito bem bolado. Pena que nosso presidente está preso. Mas estamos esperando aí, nosso foco é Lula Livre. Na situação que nós estamos hoje, Lula tem que estar conosco, solto, porque cada vez mais nós estamos sendo esmagados pela falta da liberdade”, diz.

Ao longo de mais de sete meses de existência, já passaram pela Vigília Lula Livre intelectuais como o teólogo Leonardo Boff, o Prêmio Nobel da Paz Adolfo Perez Esquivel, o linguista Noam Chomsky, o ex-presidente uruguaio José Pepe Mujica, e a médica popular cubana Aleida Guevara. Além de artistas como Chico César, Ana Cañas, Lucélia Santos, Orã Figueiredo, e personalidades como a chef de cozinha Bel Coelho e a apresentadora Bela Gil.

A expectativa é que a plataforma online reforce as doações que a Vigília Lula Livre tem recebido dos visitantes, para que, assim, a mobilização possa continuar diariamente defendendo liberdade ao ex-presidente Lula enquanto ele for mantido preso na PF de Curitiba.  

Edição: Mauro Ramos