PROGRESSISTAS

Presidentes latino-americanos sinalizam possível retomada da integração regional

Chegada à presidência de López Obrador, no México, provocou reações positivas entre alguns presidentes vizinhos

Brasil de Fato | Caracas (Venezuela)

,
Nicolás Maduro, Díaz-Canel e Evo Morales assistem à posse de AMLO e falam em retomada de integração / Twitter

A chegada de Andrés Manuel López Obrador (AMLO) à presidência do México abre caminho para a retomada de políticas de integração regional praticadas por governos de esquerda e progressistas da América Latina. Isso é o que apontam algumas reações de presidentes que estiveram presentes na posse do novo presidente mexicano, no último sábado (1), na Cidade do México. 

O presidente da Bolívia, Evo Morales, falou em "estreitar laços de integração". "Em nome de todo o povo boliviano, quero agradecer às grandes demonstrações de carinho do povo e das autoridades mexicanas. Nos une a história de resistência de nossos povos indígenas e agora esperamos seguir estreitando os laços da integração", escreveu o mandatário em sua conta no Twitter.

Em outra publicação, nessa mesma rede social, Evo também escreveu: "A irmandade latino-americana se fortalece com a inauguração de um governo de esquerda que marca o fim do neoliberalismo [no México]", expressou.

Já o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, que ao chegar ao palácio de governo mexicano foi aplaudido pelo público da Praça da Constituição, mais conhecida como Zócalo, destacou a retomada da política exterior do México. "López Obrador hoje escreve uma página brilhante da história de nossos povos que lutam pela autodeterminação e a unidade latino-americana", disse Maduro em suas redes sociais.

Momento da posse

Como novo mandatário mexicano, López Obrador sinalizou que terá uma maior proximidade com os vizinhos latinos. Em seu discurso de posse, no Congresso Nacional, ele citou heróis libertadores da América Latina, como o venezuelano Simón Bolívar, o cubano José Martí e o mexicano Benito Juárez. "O México não deixará de pensar em Simón Bolívar e José Martí, que junto com Benito Juárez, seguem guiando, com seus exemplos de patriotismo, o caminho a ser seguido por povos e dirigentes políticos".

No momento dos cumprimentos, AMLO se referiu ao presidente boliviano como "amigo Evo Morales". Também fez uma distinção em relação a Cuba. Ao cumprimentar Miguel Díaz-Canel, disse: “Presidente da irmã República de Cuba”. E o cantor cubano Silvio Rodríguez, presente na posse, foi declarado pelo mexicano como "embaixador da poesia".

Em sua conta no Twitter, Díaz-Canel destacou a disposição de Cuba em "estreitar laços" com o México. "Afetuoso encontro com o presidente do México, López Obrador e sua esposa. Cuba e México são povos irmãos. Nossos governos compartilham a vontade de estreitar ainda mais as relações de amizade e de cooperação".

Miguel Díaz-Canel (à esquerda), com sua esposa, posa para foto oficial com López Obrador e a primeira-dama mexicana | Foto: Governo do México

Edição: Vivian Fernandes