Vigília

Em visita a Curitiba, líder umbandista exalta legado de Lula para redução da pobreza

Ex-presidente encontrou-se com Pai Caetano e com três de seus advogados nesta segunda-feira (14)

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

Pai Caetano de Oxóssi visitou Lula pela terceira vez / Claudio Kbene

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) recebeu a visita, nesta segunda-feira (14), dos advogados Fernando Haddad, Luiz Eduardo Greenhalgh e Wadih Damous. Pela terceira vez, o líder umbandista Antônio Caetano de Paula Junior, conhecido como Pai Caetano de Oxóssi, também esteve com o ex-presidente.

Em diálogo na Vigília Lula Livre após a visita, Pai Caetano lembrou do trabalho de Lula no combate à desigualdade social e na luta por uma país mais justo, enquanto presidente da República. Durante o governo do petista, o país saltou da 13ª para a 6ª economia global entre 2002 e 2012 e reduziu pobreza do país em 50,6%, segundo estudo da Fundação Getúlio Vargas com base em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Essa liderança surge do Nordeste brasileiro de uma família pobre, que luta sua vida inteira para alcançar um horizonte e, alcançando, transforma aquilo que seria um alcance individual em um exemplo de vida. Quando nós tivemos essa visão empática com as pessoas que passam dificuldade de Norte a Sul do país?”, questionou o religioso.

O umbandista também falou sobre o estado do ex-presidente, preso há 283 dias. “Senti que ele está muito convencido do papel histórico dele. A liberdade não virá sem muita luta, sem muita resistência. Às vezes, resistir é algo que extrapola a razão, vem da alma. Que a gente possa ter essa grande força para resistir não só por uma pessoa, mas por uma grande causa que é um Brasil justo e livre”, disse.

A Justiça autorizou que às segundas Lula receba visitas de advogados e religiosos. E, às quintas, de amigos e colegas fora do círculo familiar do ex-presidente.

Damous, que também conversou com a militância da vigília, ressaltou a disposição de Lula e afirmou que ele “está com muita clareza política”.

“A avaliação dele é que esse é o melhor momento para o PT ser oposição. O governo já está dando mostra que contra ele cabe uma oposição resistente”, disse o deputado federal. “O PT tem que vencer o obstáculo da ressaca eleitoral e começar a fazer oposição”.

O advogado faz parte da equipe de defesa de Lula e, sem dar detalhes, disse que o grupo está trabalhando incessantemente para garantir a a liberdade ao ex-presidente.

"A Constituição, por mais desrespeitada que esteja sendo, está em vigor. E é nessas brechas que vamos atuar", finalizou.

Edição: Mauro Ramos