Premonição

Editorial: O rápido fim das ilusões com o governo Bolsonaro

Antes mesmo do início do governo, a família Bolsonaro já se mostrou elitista

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Enganou-se quem achou que vitória de Jair Bolsonaro à presidência representaria o fim da corrupção / Latuff

Enganou-se quem achou que vitória de Jair Bolsonaro à presidência representaria o fim da corrupção e o início de uma era sem os vícios do pior tipo de política. Antes mesmo do início do governo, a família Bolsonaro já se mostrou elitista, quando surgiram as denúncias de uso de movimentação financeira irregular e também enriquecimento pessoal a partir da estrutura de mandatos – além de suspeitas mais sérias a serem comprovadas, caso do envolvimento com milícias no Rio de Janeiro.

Quando atribuía o problema da corrupção ao PT, o clã Bolsonaro na verdade não questionava a corrupção do sistema político, do qual sempre fizeram parte. Agora, diante das denúncias, a tentativa do senador Flávio Bolsonaro (RJ) de intervir junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), e usar o foro privilegiado, joga por terra todo o discurso com que o grupo de Bolsonaro foi eleito. Mesmo o ex-juiz Sérgio Moro na condição de Ministro da Justiça do governo tem se revelado conivente com os escândalos iniciais do governo.

Pressionado, uma das saídas possíveis do atual governo é tentar acelerar os ataques contra os direitos trabalhistas, para prestar contas aos banqueiros. Mas diante disso cabe ao povo brasileiro se organizar e exigir um projeto popular de verdade. E não mais mitos.

 

 

Edição: Hellen Lima e Pedro Carrano