RISCO

Vale tem 56 barragens de alto potencial de dano; maior parte fica em MG

Classificação indica que caso se rompam, barragens podem acarretar em danos ambientais e humanos enormes

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

Ao todo, existem 1124 reservatórios de alto risco no país; equipe de fiscalização tem menos de 200 pessoas. / Presidência da República

Segundo a Agência Nacional de Águas (ANA), cerca de uma em cada três barragens administradas pela mineradora Vale são de “alto dano potencial”, significando que, caso se rompam, poderiam causar danos sociais, humanos e ambientais semelhantes aos de Brumadinho e Mariana (MG).

A empresa, nesta terça-feira (29), anunciou o fechamento de dez barragens em Minas Gerais similares à de Brumadinho, erguidas pelo método à montante, o mais barato e inseguro, por degraus. Os tipos de construção a jusante e por linha de centro são mais custosos, mas mais seguros.



Barragem por montante apresenta comportamento imprevisível e é a mais perigosa e barata. (Foto: @cienciausp/Twitter)

No entanto, o número de reservatórios de alto potencial supera em muito o número de reservatórios que serão fechados. Para seu fechamento e “integração ao meio ambiente”, as barragens serão desativadas, assim como já estava a de Brumadinho, cujo rompimento causou até o momento, a morte de 84 pessoas e o desaparecimento de 276.

Ao todo, existem 1124 reservatórios de alto risco no país, 2986 de baixo risco (como eram classificados Brumadinho e Mariana) e 24.092 barragens no país. A ANA tem apenas 154 funcionários para realizar a fiscalização no país.

Situação

As buscas pelos desaparecidos em Brumadinho entra no sexto dia nesta quarta-feira (30). Até agora já foram encontrados 84 mortos, sendo que 67 deles já foram identificados. Há ainda 276 desaparecidos. 320 bombeiros estão na área atingida acompanhando a situação, e 400 PMs foram deslocados à cidade de Brumadinho e à zona rural para evitar saques.

Edição: Pedro Ribeiro Nofueira