Arte

Projeto chega às ruas do Recife e chama público para ocupar espaços urbanos

Duas ações do projeto “Urbe-se” acontecerão no começo de fevereiro, no Recife

Brasil de Fato | Recife (PE)

,
Equipe de artistas, Vj's e produção reunida durante Laboratório de criação artística no Museu Murillo La Greca / Divulgação / Urbe-se

Um grupo de artistas de diferentes gerações vai ocupar espaços urbanos da cidade, promovendo trocas artísticas, estimulando a cena de artes visuais com uso das novas tecnologias e ainda a ressignificação desses espaços. Trata-se do projeto “Urbe-se”, que chega com duas ocupações na cidade do Recife. A primeira delas será na sexta-feira (1º), na Casa da Cultura. No dia seguinte, sábado (02), o encontro é no Monumento Tortura Nunca Mais. O público vai poder acompanhar as performances, nos dois dias, a partir das 19 h.

Os locais escolhidos para as ações artísticas trazem em si significados próprios que remetem a fatos históricos que revelam extremos da condição humana entre a luz e a sobra e possibilitam novas configurações visuais entre arquitetura, arte e imagem. O projeto “Urbe-se” se coloca especialmente como uma atividade de arte e política. O coletivo aproveita para fazer um convite à população para fazer o exercício de ressignificação desses espaços públicos.

Bia Rodrigues, Chico Ludermir, Daniel Santiago (Equipe S.A.), Isabela Stampanoni, João Lin, Hassan Santos e Roberto Traplev, foram convidados para desenvolverem obras em diferentes poéticas e suportes para serem projetadas nas superfícies (fachada e mural) dos dois espaços públicos, que carregam histórias de luta política e social. Os artistas vão interagir com o grupo VJ’s Retinantz, de Gabriel Furtado,Mary Gatis e Cauê Nascimento. O projeto conta ainda com a participação do músico Alex Mono, à frente da criação de trilhas e design sonoro das obras de cada artista.

Edição: Monyse Ravena