FUNDAMENTALISMO

Artigo | Afinal, “ideologia de gênero” existe?

Artimanhas são utilizadas para esconder as desigualdades entre homens e mulheres e confundir a população

Brasil de Fato | João Pessoa (PB)

,
"A ideologia de gênero não existe, querem negar o conhecimento ao povo" / Reprodução

Você já parou para pensar o que é "ideologia de gênero"? Foi uma expressão criada no ano de 2005 por um grupo chamado "Escola Sem Partido", formado por pessoas que são contra qualquer discussão nas escolas sobre desigualdade entre homens e mulheres, violência contra mulher ou diversidade. Para eles, os professores estariam incentivando as crianças a mudar de sexo. Mas, isso não é verdade.

Falar sobre a desigualdade entre homens e mulheres é entender que as trabalhadoras ganham menos que os trabalhadores pelo mesmo serviço; que elas sofrem mais com o desemprego do que eles; que são as maiores responsáveis pelos serviços domésticos e pela criação dos filhos. Por isso, as trabalhadoras necessitam de creches, de licença-maternidade e de se aposentar mais cedo.

Falar de diversidade é explicar que a sociedade é composta por diversos grupos de pessoas e que estes precisam ser respeitados, independente da orientação sexual, da identidade ou da comunidade que fazem parte. Sejam eles homens, mulheres, crianças, idosos, indígenas, quilombolas, travestis, gays, lésbicas, trabalhadores do campo ou trabalhadores urbanos. O projeto "Escola sem Partido" resume todos os indivíduos a humanos, como se existisse uma só forma de ser cidadão, mas as necessidades de cada grupo são diferentes e o Governo precisa trabalhar para todos, pois, apesar de estar escrito nas leis que todos têm os mesmos diretos, no dia a dia isso não ocorre. 

Falar de diversidade nas escolas é ensinar às crianças a não terem preconceito nem excluir outras pessoas; é ensinar que é preciso saber acolher e respeitar, porque quando se exclui uma criança dentro da escola, se está contribuindo para que ela desista dos estudos. 

A ideologia de gênero não existe, ela é uma fantasia criada para confundir o povo e diminuir direitos dos trabalhadores e trabalhadores. Ninguém muda o sexo de ninguém. Portanto, por trás da ideologia de gênero estão a venda das nossas empresas públicas, o ensino à distância para nossas crianças, a diminuição das políticas públicas, a reforma trabalhista e previdenciária. Ou seja, o objetivo é negar o conhecimento ao povo e assim ser mais fácil tirar os direitos dos trabalhadores. Por isso, precisamos de uma educação que promova igualdade, diversidade e tolerância.

*Mestra em Estudos de Gênero e militante da Marcha Mundial das Mulheres.

Edição: Heloisa de Sousa