Resistência

Moradores de Sarzedo (MG) se mobilizam para tirar mineradora da cidade

População exige informações sobre a situação da barragem e cobra plano de ações de mineradora local

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,

Ouça o áudio:

Povo de Sarzedo conquistou a realização de uma audiência pública com a prefeitura e também a suspensão das atividades da barragem via MP / Foto: Coletivo de Comunicação do MAM

Os habitantes de Sarzedo, na região metropolitana de Belo Horizonte, se organizam para cobrar que a barragem em atividade na região, da mineradora Itaminas Comércio de Minérios S.A., seja retirada da cidade.

Após o crime de proporções gigantescas da Vale em Brumadinho, no mês passado, os moradores se preocupam com a segurança e procuram respostas sobre a situação da barragem. As comunidades mais apreensivas são aquelas da zona rural de Capão da Serra, que está localizada logo abaixo do terreno onde ocorre a mineração.

De acordo com os moradores, a Itaminas já realizou um cadastro de famílias e um levantamento de bens materiais em caso de rompimento. Além disso e apesar de funcionar há 59 anos no município, a empresa ainda não teria instalado uma sirene de emergência na área e não estaria sendo transparente quanto aos processos realizados. Até o momento, nenhum plano de evacuação foi compartilhado com a população.

Risco

A barragem que funciona na cidade é a do tipo jusante, uma estrutura mais segura que a montante, modelo que operava em Brumadinho e em Mariana, porém, o motivo não é suficiente para tranquilizar os sarzedenses.

"Infelizmente, a gente não deveria se preocupar em fugir da lama. Mas como existe barragem, existe alarde, porque ela nunca é 100% segura. A gente precisa saber quais são as casas, os lugares que podem ser atingidos caso algo aconteça. Precisa saber onde serão as áreas de salvamento, qual é o tempo que cada um tem para correr. Quando vão divulgar isso?", questiona Janaína de Freitas, filha de dois idosos que moram perto da barragem.

De acordo com ela, outra coisa que preocupa os cidadãos é o prazo que a Itaminas deu para um possível encerramento das atividades na região. Seriam três anos para finalizar o processo de desinstalação de equipamentos e mais seis para esvaziar completamente a barragem. "É um período muito longo. Tem gente aqui que está tendo que tomar remédio para conseguir dormir por causa do medo. A Itaminas pode ter análise, tudo mapeado. Mas nós não temos nenhum norte", ressalta.

Justiça intervém

Após se organizarem, o povo de Sarzedo conquistou a realização de uma audiência pública com a prefeitura e também a suspensão das atividades da barragem via Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). Além disso, o órgão estipulou uma série de obrigações que a Itaminas deve cumprir nos próximos meses, como a contratação de uma auditoria técnica independente para acompanhar a fiscalização, comunicação imediata de qualquer situação de risco, entre outras medidas.

Edição: Elis Almeida