Desmonte

Metalúrgicos da Ford declaram greve após anúncio do fim das operações em São Bernardo

Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Paulo, estima que serão fechados 3 mil empregos diretos e 10 mil indiretos

Read in English | Leer en español | Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

Ford deixará de produzir e comercializar no Brasil as linhas Cargo, F-4000, F-350 e Fiesta, assim que terminarem os estoques / Divulgação

A Ford anunciou na tarde desta terça-feira (19) que encerrará as atividades em São Bernardo do Campo (SP) até novembro deste ano. A informação foi confirmada pelo presidente da montadora no Brasil, Lyle Watters, e pelo vice-presidente Rogélio Golfarb, em reunião com a direção do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. Os trabalhadores fizeram uma assembleia e declararam greve horas após a divulgação da informação pela Ford. Os metalúrgicos devem se reunir novamente na próxima terça-feira (26) para definir os próximos passos. Segundo a Central Única dos Trabalhadores (CUT), mais de três mil empregos serão afetados.

"Nós lutamos, fizemos de tudo para que isso não ocorresse. E não dá para ter uma notícia dessa e achar que dá para continuar trabalhando. Precisamos ir todos para a casa e retornar na semana que vem. Até lá é greve", informou José Quixabeira de Anchieta, coordenador-geral do Comitê Sindical na Ford, conforme notícia publicada no portal da CUT.

Segundo comunicado da Ford à imprensa, o movimento faz parte de uma reformulação global da montadora, “como um importante marco para o retorno à lucratividade sustentável de suas operações na América do Sul”. Com a decisão, a Ford deixará de produzir e comercializar no Brasil as linhas Cargo, F-4000, F-350 e Fiesta, assim que terminarem os estoques.

O texto divulgado pela fabricante diz ainda que a medida foi tomada após vários meses de busca por alternativas, que incluíam parcerias e até a venda da operação. O volume excessivo de investimentos para atender às necessidades do mercado e os crescentes custos com itens regulatórios teriam tornado inviável um "negócio lucrativo e sustentável".

Em 2018, a Ford registrou lucro líquido de US$ 3,7 bilhões, uma queda de 52% em relação ao ano anterior.

Atualizado em 19 de fevereiro de 2019 às 20h30.

Edição: Daniel Giovanaz