Luto

Confira a edição de São Paulo do Programa Brasil de Fato - 13/03/19

Edição contou com participação de correspondentes direto de Suzano e especialistas em segurança pública

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

Baixar
Massacre em Suzano reascende debate sobre a posse de armas defendido pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) / Nelson Almeida | AFP

O Programa Brasil de Fato de quarta-feira (13), cobriu ao vivo os momentos posteriores ao massacre cometido durante a manhã na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na região metropolitana de São Paulo. Dois jovens mataram cinco crianças e dois funcionários da escola. A Polícia Militar confirmou a morte de mais uma pessoa, mas não confirmou se era aluna. 

Durante o programa foi entrevistada ao vivo Maria Izabel Azevedo Noronha, Bebel, professora e deputada estadual eleita pelo PT de Piracicaba, que estava em Suzano. 

"O principal em um caso como o de hoje, é ter a presença de mais profissionais nas escolas. Tem que ser um policial? Não, não estamos falando de polícia. Nós estamos defendendo aquele profissional que a gente tinha, antes do governo Mário Covas, que ficava na porta das escolas, que era da comunidade, conhecia cada um dos alunos, sabia quem entrava e quem saia. Isso foi tirado com a gestão de Covas do PSDB, a título de 'enxugamento da máquina'. Ao fazer isso, a escola ficou vulnerável", disse Bebel, que foi presidente do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeosp).

O diretor executivo da ONG Sou da Paz, Ivan Marquez, também participou do programa. Ele comentou a relação entre o decreto assinado por Jair Bolsonaro (PSL) que flexibiliza a posse de armas de fogo, logo no início de seu governo e este tipo de tragédias.

"O decreto logo no início do governo federal aponta para o aumento do fluxo de armas entrando na sociedade brasileira, que já tem indicadores de violência altíssimos: são 45 mil pessoas que morrem todos os anos vítimas de um crime que usou arma de fogo. Portanto, qualquer medida legislativa ou do Executivo que aumente o número de armas de fogo em circulação na sociedade, invariavelmente vai gerar esse tipo de consequência, vai gerar esse número de mortes". 

A edição desta quarta (13), também trouxe informações sobre a ocupação realizada pela manhã de mulheres do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e do Movimento Camponês Popular (MCP), de uma fazenda de João de Deuz, médium preso há quase três meses acusado de estuprar dezenas de mulheres.

No programa você ouve também atualizações sobre a prisão de dois suspeitos do assassinato de Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes, às vésperas de um ano do crime. A edição divulga mais um capítulo da série que conta a história de Marielle. 

Você também pode ouvir os nossos conteúdos pelo site: radio.brasildefato.com.br ou pelo aplicativo do Brasil de Fato, disponível na Google Play.

Edição: Mauro Ramos