AMÉRICA LATINA

Movimentos populares da Venezuela denunciam ação de guerra dos EUA

Segundo nota das organizações, EUA usaram armas de pulso eletromagnético contra o país, gerando um apagão

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
Segundo o texto, o ataque contra instalações de abastecimento energético do país obedecem à necessidade dos EUA de controle do petróleo / Foto: Matias Delacroix/AFP

Movimentos populares da Venezuela lançaram um manifesto em que denunciam o que chamam de “ação de guerra” dos Estados Unidos contra o país latino. O documento, divulgado na última terça-feira (12), pede que as “forças organizadas da sociedade nos cinco continentes” denunciem as ações de ingerência dos EUA.

“Precisamos denunciar que o governo dos Estados Unidos iniciou o uso de armas cibernéticas e de pulso eletromagnético contra o nosso país, gerando um apagão em todo o território desde o dia 7 de março.  […] Esta cruel ação de guerra gerou sérios problemas em hospitais, centros de maternidade, redes de comunicação, redes de distribuição de água potável e sistemas sanitários, sistemas financeiros e comerciais, redes de transportes, além de afetar milhões de famílias venezuelanas”, afirma o texto. 

Segundo o manifesto, os ataques contra as instalações de abastecimento energético do país obedecem “à necessidade dos Estados Unidos de tomar o controle de nosso petróleo, e para isso estão determinados a fazer o nosso povo sofrer, tal como já declararam Marco Rubio [senador do Partido Republicano], Mike Pompeo [secretário de Estado dos EUA], John Bolton [conselheiro de Segurança Nacional], Elliot Abrams [enviado especial dos EUA para a Venezuela], Mike Pence [vice-presidente] e Donald Trump”.

O documento foi feito por iniciativa de representantes venezuelanos da ALBA Movimentos, plataforma de organizações unidas em torno de um projeto de integração política continental, e pela organização Chavismo Bravío. Além disso, o texto foi assinado por outras 23 entidades do país.

Segundo Hernán Vargas, da ALBA na Venezuela, o texto “é um chamado dos movimentos venezuelanos às organizações de todo o mundo. No entanto, mais que convidá-las para assinar, as entidades estão convidadas para se pronunciar e se mobilizar”.  

Confira o manifesto na íntegra:

A partir do povo da Venezuela, fazemos uma solicitação de apoio a todas as forças organizadas da sociedade nos cinco continentes, precisamos denunciar que o governo dos Estados Unidos iniciou o uso de armas cibernéticas e de pulso eletromagnético contra o nosso país, gerando um apagão em todo o território desde o dia 7 de março.

Esta cruel ação de guerra gerou sérios problemas em hospitais, centros de maternidade, redes de comunicação, redes de distribuição de água potável e sistemas sanitários, sistemas financeiros e comerciais, redes de transporte, além de afetar milhões de famílias venezuelanas em sua vida cotidiana.

Desde o primeiro ataque registrado até o momento, o governo nacional continua trabalhando junto com a indústria elétrica e com a Força Armada Nacional Bolivariana para restabelecer a energia elétrica e todas as redes afetadas, e ofereceu um apoio extraordinário aos centros de saúde afetados. 

De modo paralelo, o povo venezuelano demonstrou uma enorme vocação de paz, encontrando formas solidárias e comunitárias de manter a calma e se entreajudar em meio a uma situação tão delicada. 

Exigimos que esta ação contra uma população civil deva ser categorizada como um crime de Estado contra a humanidade protagonizado pelo governo de Donald Trump, dada a ligação que se tornou pública e comunicacional por parte de atores políticos ligados à sua administração e a seu partido político. Neste sentido, pedimos que esta grave denúncia seja replicada frente aos governos e organizações internacionais a partir de todos os sindicatos, partidos, redes, movimentos sociais do campo e da cidade. 

Sabemos que este ataque obedece à necessidade dos Estados Unidos de tomar controle de nosso petróleo e, para isso, estão determinados a fazer o nosso povo sofrer, tal como já declararam Marco Rubio, Mike Pompeo, John Bolton, Elliot Abrams, Mike Pence e Donald Trump. Frente a isso, ratificamos a determinação de nosso povo por ser livre e manter a democracia e a soberania que conquistamos nesses anos. O destino da Venezuela será definido pelos venezuelanos e venezuelanas em paz, seguiremos levantando as bandeiras de nosso projeto histórico: o socialismo comunal a partir do povo. 

Condenamos o ataque terrorista dos Estados Unidos à Venezuela.

Tirem as mãos da Venezuela! Basta de ingerência yanqui!

ALBA Movimientos capítulo Venezuela

Chavismo Bravío

Movimiento de Pobladoras y Pobladores

Movimiento Otro Beta

Frente Francisco de Miranda

Corriente Revolucionaria Bolívar y Zamora

Frente Cultural de Izquierda

ALBA TV

Araña Feminista

FALDAS-R

Colectivo La Otra Escuela

Movimiento Juventud de Izquierda Consciente

Fuerza Patriótica Alexis Vive-Comuna El Panal 2021

Colectivo Género con Clase

Frente Bicentenario de Mujeres 200

Comité de Víctimas de la Guarimba

Coordinadora Simón Bolívar

Colectivo Sures

Frente Amplio de Los Consejos Socialistas de Trabajadoras y Trabajadores

Ejército Productivo Obrero

Plataforma Socialista Golpe de Timón

CEF Aquelarre Caribeño

Colectivo Ciudad Canción

COMUNAMUJER Caracas

Clap Vientos Bolivarianos

Edição: Vivian Fernandes