ESPORTES

No Rio, Wilson Witzel anuncia rompimento da concessão do Maracanã

A partir da publicação no Diário Oficial, a concessionária terá que deixar o estádio em até 30 dias

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,
Dívida de R$ 38 milhões motivou rompimento de contrato com concessionária / Reprodução

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC) anunciou nesta segunda-feira (18) que vai por fim ao contrato de concessão do Estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã. O motivo, segundo o governador, é uma dívida de R$ 38 milhões da concessionária Complexo Maracanã Entretenimento S.A, gerida pela Odebrecht. A concessionária não paga parcelas de outorga previstas no contrato desde maio de 2017.

“Estão usando um equipamento do estado, não estão pagando e, pior, os clubes estão reclamando. Tudo errado”, declarou o governador. A caducidade do contrato de concessão será publicado em decreto nesta terça-feira (20) no Diário Oficial (DO).

A partir da publicação no DO, a concessionária terá que deixar o estádio em até 30 dias, e a administração será assumida pelo estado enquanto um novo modelo de parceria público-privada é preparado.

Segundo o governo estadual, serão realizadas obras no entorno do Maracanã para a construção de um estacionamento, de shoppings e até hotéis. O projeto pretende preservar o Parque Aquático Júlio Delamare, o Estádio de Atletismo Célio de Barros e o antigo Museu do Índio. Às vésperas da Copa do Mundo, o governo de Sérgio Cabral (MDB) planejou demolir os três equipamentos, mas enfrentou forte oposição da sociedade e recuou da proposta.

Fluminense e Flamengo avaliaram como positiva a decisão do governo estadual. A concessionária, por meio de nota, disse que ficou sabendo do fim do contrato pela imprensa. Segundo Witzel, partidas de futebol já agendadas, incluindo a Copa América e a Copa Libertadores da América, não serão prejudicadas.

Edição: Vivian Virissimo