Lava Jato

Michel Temer e Moreira Franco são presos pela Lava Jato

Operação da Lava Jato aconteceu na manhã desta quinta-feira (21) no Rio de Janeiro

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

Ouça o áudio:

Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.
Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. - EBC

A força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro (RJ) prendeu, na manhã desta quinta-feira (21) em São Paulo (SP), Michel Temer (MDB), ex-presidente da República.

Continua após publicidade

Os agentes também prenderam o ex-ministro Moreira Franco no Rio de Janeiro. A PF cumpre mandados contra mais seis pessoas, entre elas empresários. Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

Continua após publicidade

Preso, Temer foi levado para o Aeroporto de Guarulhos, onde vai embarcar em um voo e será levado ao Rio de Janeiro em um avião da Polícia Federal. O ex-presidente deve fazer exame de corpo de delito do IML em um local reservado e não deve ser levado à sede da PF de São Paulo, na Lapa.

Continua após publicidade

Desde quarta-feira (20), a Polícia Federal (PF) tentava rastrear e confirmar a localização de Temer, sem ter sucesso. Por isso, a operação prevista para as primeiras horas da manhã desta quinta-feira atrasou.

Continua após publicidade

O ex-presidente Michel Temer é investigado pela operação Lava Jato por corrupção, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha e de ter recebido propina em troca de beneficiar indevidamente empresas do setor portuário. As investigações começaram quando Temer ainda era presidente, e a abertura do inquérito foi solicitada pelo STF, mas o Congresso Nacional barrou os pedidos pelo cargo de presidente que exercia na época.

Desde fevereiro deste ano, no entanto, o STF enviou para a primeira instância do Judiciário os quatro inquéritos abertos na Corte para investigar o ex-presidente, já que ele não tem mais mandado desde 1º de janeiro, e com isso não tem mais direito ao foro privilegiado. Ele já foi denunciado em três dessas investigações. 

Edição: Luiz Felipe Albuquerque