FORTALEZA

Em Fortaleza, “aparato de guerra” interrompe Sarau organizado pelo Levante

“Levante pela Paz” seria realizada no bairro José Walter

Brasil de Fato | Fortaleza (CE)

,
Sarau pela paz é impedido pela Polícia Militar no Ceará / Foto: Divulgação

Era noite de domingo, na periferia de Fortaleza, jovens se preparavam para realizar um sarau com música e discussão política quando 20 viaturas policiais chegaram, interromperam e a atividade e fiscais que acompanhavam os policiais aplicaram duas multas a organização do evento. 

A cena descrita acima aconteceu na noite do último domingo (31), no Conjunto Habitacional Cidade Jardim II, no bairro José Walter, em Fortaleza. O Levante Popular da Juventude, movimento popular que organiza a juventude, realizava o Sarau “Levante pela Paz”, que já havia ocorrido outras vezes na comunidade, quando a Polícia Militar chegou com muitas viaturas e encerrou a atividade

 “O que nós vimos foi um aparato de guerra, inclusive com a Tropa de Choque, Cavalaria da Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros”, conta Miguel Braz, da coordenação nacional do Levante Popular da Juventude. 

Fiscais da Prefeitura de Fortaleza também chegaram ao local e aplicaram duas multas nos valores de R$ 519,00 pela utilização do som mecânico, que segundo a organização não foi utilizado e outra de R$ 865,00 pela caracterização do evento como irregular.

“Enquanto nós tentamos organizar a juventude em uma comunidade com uma alto índice de violência, nós somos recebidos pela polícia. Queremos resposta tanto da Prefeitura de Fortaleza como do Governo do Estado do Ceará”, completa Miguel.

Em nota a Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT CE), repudiou a ação de truculência policial, “este abuso de autoridade ocorre exatamente neste 31 de março, data em milhares de homens e mulheres foram às ruas em todo o país para reafirmar a democracia e repudiar a ditadura militar. Diante deste triste ato contra um festival organizado pelo Levante Popular da Juventude, que tem como único objetivo promover a paz nas periferias, a CUT Ceará presta solidariedade ao movimento e repudia veementemente esta ação militar”, afirma a nota.

Edição: Monyse Ravenna