AJUDA HUMANITÁRIA

Cuba monta hospitais de campanha para atender vítimas de ciclone em Moçambique

No grupo, há especialistas de medicina geral integrada, cirurgia, medicina interna, pediatria, ginecologia e cirurgiões

Médico cubano faz atendimento em Moçambique / Foto: Cubadebate

Os médicos cubanos enviados a Moçambique logo após a passagem do ciclone Idai, que deixou mais de 700 mortos, montaram no país hospitais de campanha completos com infraestrutura para consultas e cirurgias. As tendas também contam com laboratórios clínicos e microbiológicos, equipes para diagnósticos por imagem e 20 leitos de hospitalização.

Cuba enviou ao país africano 16 médicos e outros funcionários de apoio e administrativos. No grupo, há especialistas de medicina geral integrada, cirurgia, medicina interna, pediatria, ginecologia, cirurgiões, ortopedistas e epidemiologistas.

No total, há mais de 270 colaboradores cubanos prestando assistência em Moçambique.

O país caribenho decidiu enviar, na semana passada, apoio médico, equipamentos essenciais e profissionais à África. O vice-presidente do Conselho de Estado e Controladoria Geral da República, Gladys Bejerano Portela, esteve na embaixada de Moçambique em Havana, e se pronunciou em solidariedade ao país africano.

"Em nome do Estado, o governo e o povo cubanos, expressamos nossas mais profundas condolências, simpatia e solidariedade com o governo e povo da República de Moçambique", disse.

*Com informações do Cubadebate.

Edição: Opera Mundi