LULA LIVRE

Manual detalha estratégias de luta e criação de comitês pela liberdade de Lula

Caderno Lula Livre apresenta dicas de organização e debate para comitês presenciais e digitais

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

“O caderno Lula Livre é antes de tudo uma ferramenta militante", diz organizador / Foto: Caderno Lula Livre/Reprodução

O Comitê Nacional Lula Livre lançou nesta semana o Caderno Lula Livre, discutido e aprovado no Encontro Nacional Lula Livre, que aconteceu em 16 de março, em São Paulo (SP).

O material traz, além de conteúdos políticos, sociais e jurídicos, também metodologias de organização dos Comitês Lula Livre, tanto os locais e estaduais. Ao todo, até o momento, se computam 300 comitês no país.

A ideia dos comitês locais é a de que eles possam ser construídos por qualquer pessoa engajada em defesa da democracia: em sua associação, bairro, local de trabalho, sindicato, comunidade, universidade ou coletivo. O objetivo do comitê é elaborar, planejar, organizar e realizar atividades que peçam a libertação do ex-presidente, assim como se somar a iniciativas locais em defesa dos direitos do povo brasileiro.

“O caderno Lula Livre é antes de tudo uma ferramenta militante: um instrumento para militantes organizarem comitês populares, com argumentos jurídicos e políticos para a defesa de Lula e propostas de ação na base para ampliar nossa força e influência social”, disse Renato Simões, responsável pela organização do material.

Segundo ele, “não tem fórmula pronta para construir o comitê. É a realidade e as situações concretas que vão orientar como será cada estruturação e maneiras de defender a liberdade de Lula. Essa é uma luta que cabe todo mundo”.

Acesse o Caderno Lula Livre.

Edição: Pedro Ribeiro Nogueira