wikileaks

Alba Movimentos envia carta ao governo equatoriano em solidariedade a Assange

Representantes dos movimentos populares, sindicatos e de partidos políticos do Brasil repudiam a postura de Lenin Moreno

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
Julian Assange foi preso em Londres nesta quarta-feira (11) / AFP

Representantes de movimentos populares, sindicatos e partidos políticos do Brasil que integram a Alba Movimentos enviaram uma carta ao presidente equatoriano Lenin Moreno nesta quarta-feira (11) em solidariedade a Julian Assange, ativista preso horas antes.

Os autores da carta repudiam a postura de Moreno e atribuem a ele a responsabilidade por eventuais danos causados à saúde de Assange.

Leia na íntegra:

"Excelentíssimo senhor Lenin Moreno

Presidente do Equador

a/c Embaixada do Equador no Brasil

Consulados do Equador no Brasil

Prezado Senhor,

Nós, representantes dos movimentos populares, sindicatos e de partidos políticos do Brasil vimos à sua presença para manifestar nossa indignação e repúdio, diante do seu comportamento de violar as leis internacionais e entregar o cidadão australiano, naturalizado equatoriano, JULIAN ASSANGE, para a polícia inglesa.

O senhor sabe que Assange e sua equipe do Wikileaks, cumpriram um papel em favor da democracia mundial ao denunciar as manipulações e espionagens que o governo dos ESTADOS UNIDOS pratica através da internet, com seus organismos de inteligência, espionando desde chefes de estado, como fez aqui com a Presidenta Dilma, embaixada de outros países, empresas estatais, como fez aqui com a Petrobras, até jornalistas e movimentos populares. A pratica terrorista dos serviços de inteligência americanos, não são mais com dinamite, como no período colonial ou com tanques como no período recente, mas com mentiras e atentados via redes de computadores e robôs, como estão fazendo todos os dias na Venezuela. E como estão atuando em todo mundo, para ajudar a eleger governos de extrema direita.

Todas essas praticas identificadas pelo Wikileaks foram comprovadas depois pela deserção de um funcionário dos serviços de inteligência, o sr. Edward Snowden, que para se proteger de governos servis, como o seu, preferiu asilar-se na Rússia.

O senhor envergonha toda comunidade internacional.

O senhor traiu seus eleitores equatorianos.

O senhor passou para a lata do lixo da historia, junto com aquela escória das elites submissas, que fazem tudo o que o governo imperial exige.

A que preço? Como o senhor se beneficiou? Saberemos apenas daqui algum tempo, quando o Wikileaks revelar as mensagens enviadas pelo embaixador dos EUA do Equador a Washington, para sabermos quanto o senhor custou. Mas já sabemos que o senhor vale muito pouco.

Se acontecer qualquer coisa com a vida de ASSANGE e sua saúde, o senhor será responsável direto.

Tenha um pouco de dignidade e renuncie a seu mandato!

Não nos esqueceremos.

Liberdade para Assange!

Brasilia, 11 de abril de 2019"

Adesões:

Organizações

1. Articulación Continental de los Movimientos Sociales hacia el ALBA

2. Associação Casa de Cultura Julia Rocha da cidade de Nazarezingo-Paraíba/BR

3. Associação de Microcrédito Popular e Solidário

4. Associação dos Moradores do Bairro Panazzolo

5. Capítulo Brasil – ALBA Movimientos

6. CEBRAPAZ – Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz

7. Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil - CTB

8. Centro de Estudos, Pesquisa e Direitos Humanos

9. Coletivo Alvorada Bela Horizonte

10. CONEN - Coordenação Nacional de Entidades Negras

11. Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação -FNDC

12. Fundación de Estudios, Acción y Participación Social - FEDAEPS

13. Levante Popular da Juventude

14. Marcha Mundial de Mulheres

15. Movimento Camponês Popular - MCP

16. Movimento de Mulheres Camponesas – MMC

17. Movimento de Trabalhadores dos Direitos – MTD

18. Movimento de Pescadores e Pescadoras Artesanais do Brasil - MPP

19. Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra - MST

20. Movimento pela Soberania Popular na Mineração – MAM

21. Movimentos dos Atingidos por Barragens - MAB

22. Partido Socialismo e Liberdade - PSOL

23. Patria Grande - Argentina

24. Vía Campesina Brasil

Pessoais

1. Adelaide Gonçalves, historiadora, Universidade Federal do Ceará

2. Alice Portugal, deputada federal – PCdoB

3. Ana Costa - Professora/Universidade Federal Fluminense.

4. Anita Leocadia Prestes, historiadora, professora da UFRJ - Rio de Janeiro

5. Aparecido Araújo Lima, jornalista, do Conselho Consultivo do Centro de Mídia Alternativa Barão de Itararé

6. Carlos Bittencourt - Direção Nacional do PSOL.

7. Delma Pessanha Neves - Professora/Universidade Federal Fluminense.

8. Dora Milicich Seibel

9. Dulce Maria Pereira, professora - MNU/MG

10. Elizabeth Ferreira Linhares, pesquisadora autônoma, doutora em Ciências Sociais pela UFRJ

11. Flávia Lessa de Barros, Universidade de Brasília

12. Flavio Wolf de Aguiar, escritor, jornalista, de Berlim

13. Giovani del Prete, internacionalista, Brasil

14. Glauber Braga, deputado federal – PSOL/RJ

15. Heloísa Fernandes, socióloga, USP

16. Henrique Fontana, deputado federal – PT/RS

17. Irene León, socióloga, Ecuador

18. Ivan Valente, deputado federal – PSOL/SP

19. Javier Amadeo, professor Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)

20. João Daniel, deputado federal – PT/SE

21. João Seibel

22. Leire Azkargorta, internacionalista, País Basco

23. Luiza Erundina, deputada federal – PSOL/SP

24. Marcela Prado Mendonça, doutoranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente Prodema/UFS

25. Marcelo Freixo, deputado federal – PSOL/RJ

26. Marco Antonio Santos, psicólogo - São Paulo

27. Marcon, deputado federal – PT/RS

28. Maria Fernanda Milicich Seibel

29. Mario Madureira, Advogado, ABJD-RS

30. Nilton Tato, deputado federal – PT/SP

31. Padre Joao, deputado federal – PT/MG

32. Paulo Pimenta, deputado federal – PT/RS

33. Pedro Uczai, deputado federal – PT/SC

34. Silvio Tendler, cineasta

35. Taliria Petrone, deputada federal – PSOL/RJ

36. Valmir Assunção, deputado federal – PT/BA

37. Vanessa Martina Silva - jornalista, editora da revista Diálogos do Sul

38. Walnice Nogueira Galvão – Professora Emérita da FFLCH-USP

Edição: Brasil de Fato