Solidariedade

"Mesmo preso, Lula continua sendo uma liderança no mundo", diz sociólogo italiano

Em visita ao ex-presidente, o escritor Domenico De Masi denunciou perseguição e prisão política do petista

Brasil de Fato | São Paulo

,

Ouça o áudio:

Autor do best-seller "O ócio criativo" é um dos pensadores contemporâneos mais influentes do planeta / Ricardo Stuckert

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) recebeu nesta quinta-feira (25) a visita do sociólogo Domenico De Masi. Autor do best-seller “O ócio criativo”, o escritor italiano esteve na Vigília Lula Livre após o encontro privado e relatou suas impressões sobre o diálogo com “o maior líder mundial do momento”.

Próximo à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, Domenico De Masi afirmou que o encarceramento não abalou o prestígio nacional e internacional do ex-presidente. “Lula pareceu estar muito bem, do ponto de vista psicológico e intelectual. Ele continua sendo uma grande liderança no mundo e, talvez, a liderança mais importante que o mundo tem neste momento”. 

Autor de dezenas de livros, o sociólogo é um dos pensadores contemporâneos mais influentes do planeta. No Brasil, seu best-seller vendeu mais de 200 mil exemplares. De Masi dedica-se aos estudos sobre a relação entre ser humano, tempo e trabalho. Em 2010, o intelectual foi nomeado cidadão honorário da cidade do Rio de Janeiro (RJ). 

“Em todo o mundo, a intelectualidade pensa e concorda que o Lula está encarcerado injustamente. Os intelectuais de esquerda pensam assim, os de direita talvez não. O Lula disse também que a luta da esquerda não é uma luta de pouco tempo, mas de longo prazo. E, ao fim desse caminho, haverá uma esquerda muito melhor do que a que estava no começo”, relatou.

Sociólogo esteve na Vigília Lula Livre após o encontro com o ex-presidente.  (Foto: Ricardo Stuckert)

Segundo o escritor italiano, Lula "pediu para dizer que tem uma grande dignidade e que nunca vai negociar sua liberdade com sua dignidade. E pede a todos vocês que façam a mesma coisa: jamais negociar a liberdade pela dignidade".

Preso político desde abril de 2018, Lula tem direito a receber dois amigos por semana, sempre às quintas-feiras, pelo período de uma hora.

Edição: Daniel Giovanaz