publicidade

"É censura aos artistas, não ao banco", diz atriz do comercial vetado por Bolsonaro

Campanha publicitária do Banco do Brasil que valorizava diversidade da população brasileira foi tirada do ar

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

Mellanie Reis participou do comercial do Banco do Brasil / Reprodução / Youtube

Destinada ao público jovem e caracterizada pela diversidade racial e sexual, a última campanha publicitária do Banco do Brasil (BB) foi retirada de circulação a pedido do presidente Jair Bolsonaro (PSL) há duas semanas. A peça de 30 segundos, que pode ser acessada pelo Youtube, estava no ar na televisão e internet desde o dia 1º de abril. Logo após o veto, o então diretor de Comunicação e Marketing do Banco do Brasil, Delano Valentim, anunciou a saída do cargo. 

A modelo Mellanie Reis, de 23 anos, foi uma das atrizes que participou da campanha, e conta que ficou surpresa quando soube que o vídeo havia sido tirado do ar. Para ela, o preconceito é a única explicação para a atitude do governo.

"Que eu saiba, o nome disso é censura. E, pior ainda, eu enxergo que isso não é uma censura só ao banco, entende? Porque o banco está aí, funcionando e lucrando", lembra. "A questão é que as pessoas que estão ali, eu e vários outros atores e atrizes que fizeram parte desse comercial, é que na real fomos censurados".

Reis está convicta de que os perfis dos atores é que motivaram o veto ao comercial. "Acredito que, daí para frente, ou até nesses meses que se seguirão, o Banco do Brasil vai soltar uma nova campanha, com outros perfis. De fato, eu acredito que foi isso que incomodou, sabe? Esses perfis… é isso que causa medo", finaliza. 

A atriz conta que é a primeira vez que isso acontece em sua carreira, que inclui campanhas publicitárias como "#VamosCombinar Prevenir é Viver o Carnaval". Produzido para o carnaval de 2018 pelo Ministério da Saúde, o vídeo da campanha também mostra diversidade e incentiva o uso de preservativos masculinos e femininos para prevenir doenças. Ela acredita que o veto pelo governo à campanha do Banco do Brasil "só demonstra que o país está andando para trás". 

Sobre o motivo da retirada do vídeo, o presidente declarou no último dia 27 que “não quer que dinheiro público seja utilizado para fazer propagandas iguais à do Branco do Brasil”. Em seguida, afirmou que a peça vai contra sua linha de pensamento e insinuou que o vídeo desrespeita a família. A assessoria do banco declarou que a peça foi retirada do ar por "não contemplar todos os perfis brasileiros"

 

Edição: Daniel Giovanaz