Câmara

Aposentadoria: seu deputado vai votar a favor da reforma?

Deputados federais já começam a firmar posição sobre a reforma da Previdência. De Minas, 19 são a favor

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,
Governo ofereceu R$ 40 milhões para quem votar a favor da reforma / Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

A reforma da Previdência, que não foi aprovada no governo Temer, voltou ainda pior pelas mãos do governo Jair Bolsonaro (PSL). Diversas organizações e movimentos, entre elas a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), especialistas da área econômica e do direito previdenciário, afirmam que a Proposta de Emenda Constitucional 06, a reforma da Previdência, traz severos prejuízos aos trabalhadores e trabalhadoras.

Os deputados federais estavam demonstrando negação à PEC, mas o cenário passou a mudar quando, no final de abril, o governo de Bolsonaro entrou no “toma lá dá cá”, que ele tanto criticou durante a campanha. O ministro Onyx Lorenzoni ofereceu R$ 40 milhões em emendas para cada deputado que votar a favor da reforma. Os deputados que não a aprovarem continuariam com os R$ 15 milhões para os quatro anos.

E aí, será que seu deputado entrou nesse time? Veja a posição dos deputados federais eleitos por MG, em levantamento feito pelo jornal Estado de S. Paulo, com a posição de cada um:

A FAVOR

Bilac Pinto DEM

Cabo Junio Amaral PSL

Charlles Evangelista PSL

Delegado Marcelo Freitas PSL

Diego Andrade PSD

Eduardo Barbosa PSDB

Eros Biondini PROS

Fábio Ramalho MDB

Franco Cartafina PP

Hercílio Coelho Diniz MDB

Lafayette de Andrada PRB

Lucas Gonzalez NOVO

Luis Tibé AVANTE

Mário Heringer PDT

Marcelo Aro PP

Paulo Abi-Ackel PSDB

Stefano Aguiar PSD

Tiago Mitraud NOVO

Zé Silva SD

INDECISOS

Aécio Neves PSDB

Alê Silva PSL

Dimas Fabiano PP

Domingos Sávio PSDB

Dr. Frederico PATRI

Emidinho Madeira PSB

Enéias Reis Suplente PSL

Euclydes Pettersen PSC

Fred Costa PATRI

Gilberto Abramo PRB

Greyce Elias AVANTE

Igor Timo PODEMOS

Léo Motta PSL

Lincoln Portela PR

Misael Varella PSD

Newton Cardoso Jr MDB

Pinheirinho PP

Zé Vitor PMN

CONTRA

André Janones AVANTE

Áurea Carolina PSOL

Júlio Delgado PSB

Leonardo Monteiro PT

Margarida Salomão PT

Mauro Lopes MDB

Odair Cunha PT

Padre João PT

Patrus Ananias PT

Paulo Guedes PT

Reginaldo Lopes PT

Rodrigo de Castro PSDB

Rogério Correia PT

Subtenente Gonzaga PDT

Vilson da Fetaemg PSB

Weliton Prado PROS

“Quem vota, não volta”

A população brasileira fez uma grande pressão em seus deputados e senadores em 2017. No dia 28 de abril, trabalhadores realizaram a maior greve geral da história brasileira, paralisando por um dia os serviços, principalmente nas grandes cidades. Outro ponto forte foi a divulgação das listas de deputados que eram a favor da Reforma.

O objetivo foi alcançado. Os parlamentares desistiram de votar a reforma da Previdência naquele ano e muitos deles ficaram “queimados” e tiveram uma votação baixa. Em Minas, 70% dos deputados que não se reelegeram tinham votado a favor da reforma da Previdência de Michel Temer.

Greve Geral no dia 14 de junho

Sete centrais sindicais convocam todos os trabalhadores e trabalhadoras brasileiras a não trabalharem no dia 14 de junho, uma terça-feira. O objetivo é exigir a retirada da reforma da Previdência da pauta do Congresso Nacional. A greve foi anunciada no Dia do Trabalhador, 1º de maio, em uma manifestação de 200 mil pessoas na cidade de São Paulo.

Edição: Elis Almeida