Arte QUE MOVIMENTA

Projeto realiza espetáculo de dança descentralizando a cultura

Participação das crianças, jovens e mães da comunidade é essencial para realização do evento

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
No final ano passado, educadores e alunos realizaram uma apresentação no bairro Tatuquara. / Divulgação

É a partir da certeza da importância da arte para a construção do ser humano, ampliando voz e sensibilidade, que a equipe do Projeto Arte Geral, junto com a comunidade do bairro Tatuquara, localizado em Curitiba, realiza, neste sábado (18), o espetáculo “Descentraliza Arte Geral”, que acontece no Auditório Antônio Carlos Kraide, no Muma, bairro Portão, compondo a 4ª Semana Cultural de Curitiba.

Englobando modalidades que fazem parte das danças urbanas (hip hop dance e breaking), dança contemporânea e balé clássico, o evento surgiu na intenção de proporcionar às crianças um momento de confraternização e fechamento do ciclo de aulas que aconteceram durante o ano, além de participar das oficinas e apresentações de artistas convidados.

“O processo de construção do espetáculo tem proporcionado experiências enriquecedoras. Os alunos têm se engajado com a proposta, assim como suas famílias, que vêm dando apoio para a efetivação das aulas, ensaios e tantas outras demandas para a realização desse projeto”, afirma Rita Bambila, diretora financeira e coordenadora pedagógica.

É o caso de Vani da Costa Ribeiro (45), moradora do Tatuquara, mãe da Manoele Ribeiro (11) e Eduardo Ribeiro (09). Ela conta que conheceu o Arte Geral através do CRAS, quando estava com os filhos e a guarda de três sobrinhos: “Era bem agitado e emocionante ver todos juntos. Se passou um tempo e os meus filhos continuaram e tem sido muito bom pra eles, sempre comprometidos com as aulas e com a dança. O processo é muito bom e envolve muita diversão”.

O projeto acredita que crianças e jovens que participam das aulas passam a se relacionar com o mundo de forma diferente, com uma melhor comunicação interpessoal, autoestima e a crença de que são capazes de fazer a diferença no local onde estiverem.

Vani conta que tem se impressionado com responsabilidade das suas crianças com o projeto: “Principalmente com as atividades que precisam ser fora do cronograma. E isso é bom porque mostra que tem interesse no que fazem, eles amam os professores que são muito dedicados. Eu ajudo sempre que posso, isso é gratificante”.

Descentralizar o acesso à cultura

A escolha do nome do espetáculo vem do desconforto da equipe, composta por Rita, Karina Vieira Merêncio, Camile Carbonari, Vitor da Rosa, Aline Bento, Andrea Gianini e Eloisa Salvador, além das famílias, de perceber como a difusão de arte e cultura na cidade ainda é tão centralizada.

“A intenção é partilhar com a comunidade o que acontece no centro e partilhar com o centro o que acontece na comunidade, é trazer a reflexão sobre o foco que o centro tem e mostrar o quanto os bairros mais afastados também tem a oferecer. Fazemos isso também na nossa instituição, proporcionando experiências artísticas para as famílias no espaço do Clube da Gente do Tatuquara, assim como fornecemos o acesso aos teatros, como forma de dar força ao que já acontece, na ideia de inspirar a comunidade a se expressar e fortalecer esse movimento que já acontece na mesma”, reflete Karina Vieira Merêncio, voluntária como professora de dança e apoio administrativo.

Segunda apresentação

Para quem não conseguir ir neste sábado, uma segunda apresentação do Espetáculo “Descentraliza Arte Geral” é realizada no dia 25 de maio, na Rua da Cidadania, no bairro Tatuquara. O evento acontece às 10h, e é aberto para toda comunidade.

Serviço:

Espetáculo “Descentraliza Arte Geral”

Quando:  Sábado (18), às 16h30 no Auditório Antônio Carlos Kraide, no Muma, bairro Portão. (Ao lado do terminal do Portão)









 

Edição: Laís Melo