Quais as próximas mobilizações dos estudantes para combater os cortes na educação?

Imagem do logo do Podcast

Ouça o áudio:

O movimento estudantil se organiza para greve no próximo dia 30 de maio
O movimento estudantil se organiza para greve no próximo dia 30 de maio - Nelson Almeida | AFP
Enquanto Bolsonaro não recuar, precisamos estar nas ruas, em defesa da educação

Após o pronunciamento de Abraham Weintraub para cortar 30% da verba destinada às universidades federais, os estudantes, professores e profissionais da educação tomaram as ruas em protestos, que levaram mais de 1 milhão de pessoas em 250 cidades do Brasil.
No dia 15 de maio (dia da paralisação dos estudantes), o presidente estava na cidade de Dallas, nos EUA. Questionado sobre as manifestações, disse que os manifestantes eram “idiotas úteis e imbecis usados como massa de manobra”. 
O Brasil de Fato foi às ruas e ouviu a pergunta de Kelven Matos. Ele quer saber quais serão as próximas mobilizações do movimento estudantil para combater o corte de verbas na educação. 
Quem responde é Jessy Dayane, vice-presidenta da União Nacional dos Estudantes (UNE). “Nós orientamos novamente que estudantes realizem assembleias nas universidades para aprovar a ida às ruas no dia 30 de maio e também para organizar como será a ida da sua universidade para a manifestação ao local combinado. 
A ideia é que a gente marque oficinas de cartazes. Este será um momento para debater o que são esses cortes, como eles impactam na nossa universidade e para que a gente organize as nossas faixas, nossas músicas, nossas batucadas para participar da atividade de forma ativa, com todos os estudantes construindo, com suas próprias mãos, a universidade e a educação que a gente quer. 
Se o dia 15 foi enorme, a gente tem tempo e condições de construir um dia 30 ainda maior, para que a gente possa, assim, barrar os cortes na educação. O dia 15 foi lindo, mas os cortes ainda estão aí. Por esse motivo, enquanto Bolsonaro não recuar, nós precisamos estar nas ruas, lutando em defesa da educação. Então, vamos lá, estudantada, tentar construir juntos um grande dia 30 de maio”.


 

Edição: Katarine Flor