Agreste

Em Passira, festival reforça por meio da arte a educação contra racismo e violência

Festival Musicalizando Direitos é organizado pela ONG Grupo Curumim

Brasil de Fato | Recife (PE)

,
A recifense Mayra Clara é uma das atrações / Arquivo da artista

No próximo sábado (25), o Grupo Curumim promove o Festival Musicalizando Direitos, em Passira, no Agreste de Pernambuco. O evento terá início a partir das 18h, na Praça Severino Ferreira, no centro da cidade e contará com a apresentação de diversos grupos culturais de todo o estado.

O Festival será o encerramento do projeto “Musicalizando Direitos, artivismo em foco!”, que tem o objetivo de contribuir com a disseminação de informações sobre Direitos Humanos, com foco no racismo e violência sofrida por meninas e mulheres. Parte projeto consistiu em oficinas e vivências com gestoras, profissionais, ativistas e estudantes do 8° e 9° ano da Escola Municipal Maurina Rodrigues, de Passira, com o intuito de construir saberes e gerar um espaço de reflexão sobre os temas no cenário local e nacional.

Durante um mês, sempre aos sábados, aconteceram oficinas de música, percussão e artes com as estudantes. O resultado dessas atividades foi a construção de letras de músicas, o aprendizado sobre instrumentos como alfaia, caixa agbê e agogô e, na aula de artes, a construção do cartaz do Festival e outras produções que serão apresentadas pelas próprias meninas no dia do evento.

Sueli Valongueiro, integrante da coordenação do Grupo Curumim, ressalta como a formação pode ser uma das formas de prevenir e combater a violência “A informação por si só nem sempre é suficiente para promover mudanças de atitudes individuais e coletivas que sejam capazes de enfrentar cenários de violação de direitos. Por isso, é necessário favorecer espaços de reflexão crítica e de diálogo que sejam capazes de acolher os diversos contextos e fortalecer sujeitos”.

Além da ONG, o projeto foi construído com o apoio das Secretarias de Educação, Políticas para as Mulheres, Assistência Social, Saúde, da Cultura e do Conselho Tutelar. Além da formação na escola, também foram realizadas ações políticas educativas junto a gestoras e profissionais das secretarias, do conselho tutelar e do Fórum de Mulheres do Agreste. Para Rosiane Bernardo, que integra a Secretaria de Educação de Passira, essa é uma ação que reflete também a longo prazo. “Eu acho que quem acredita em transformação investe em educação, e o que a gente está fazendo é isso, apostando no investimento com jovens para que diminua, na frente, o número de violência no nosso município”.

Entre as artistas e cantoras convidadas para o Festival Musicalizando Direitos estão Kátia Rodrigues, de Limoeiro, Gabryelly Nascimento e Thalita Firmino, de Passira, Yanka Martins, de Belo Jardim, além do grupo percussivo Cordão de Bruta Flor, a Batucada das Estudantes da Escola Maurina Rodrigues e Mayra Clara, de Recife. Durante todo o festival acontecer a exposição de artes com telas criadas pelas estudantes em alusão ao tema combate ao racismo

Edição: Monyse Ravena