Aposentadoria

Reforma da Previdência "não é cristã", diz representante da CNBB

Para Dom Roberto Francisco Ferreira Paz, PEC violenta o bem comum e atinge principalmente os mais pobres

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

Seminário realizado em Brasília discute a reforma da Previdência, proposta pelo governo Jair Bolsonaro (PSL) / Patrícia Antunes

A proposta de reforma da Previdência do governo Jair Bolsonaro (PSL) "violenta o bem comum", porque atende apenas às demandas do "capital financeiro". Foi o que afirmou Dom Roberto Francisco Ferreira Paz, representante da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em fala durante a mesa de abertura  do seminário “Desmonte da Previdência Social no Brasil: a quem interessa?”.

O evento, organizado pela Rede Jubileu Sul, começou nesta segunda-feira (27) em Brasília e vai até a próxima quarta-feira (29). Para a professora Silvia Barbara, do Sindicato dos Professores de São Paulo (Sinpro-SP), especialista em Previdência, a reforma em debate na Câmara dos Deputados “visa atender o sistema de capitalização” em detrimento do atual regime de repartição simples.

“Na capitalização individual, cada trabalhador contribui mensalmente para sua aposentadoria numa conta separada dos outros trabalhadores, como se fosse uma poupança. É diferente do sistema atual — de repartição — em que todos contribuem para um fundo que mantém as aposentadorias e demais benefícios previdenciários e assistenciais”, explicou Barbara.

:: Ao contrário do que diz o governo, capitalização não é "poupança garantida" ::

A proposta “não faz justiça social” e, portanto, “não é cristã”, disse Dom Roberto Paz. Ele acrescentou ainda que a reforma tal como está formatada só “repercute entre os mais pobres”, “os trabalhadores rurais”. Estes serão os “descartados pela Seguridade Social”, pontuou.

“É preciso debater esse tema com otimismo, a fim de entusiasmar as pessoas. Não podemos ser pessimistas, pois isto não empolga, nem tampouco mobiliza”, finalizou o representante da CNBB.

Edição: Aline Carrijo