COMUNICAÇÃO POPULAR

Artigo | Temos uma comunicação popular e de esquerda. E agora?

Mas ainda precisamos conscientizar sobre a necessidade de estrutura e profissionalização dos meios de comunicação

Brasil de Fato | Curitiba

,

Ouça o áudio:

"Em um país de baixa cultura de leitura, a comunicação impressa é um alimento necessário" / Redação

É comum entre os militantes de esquerda o sonho de uma mídia alternativa, defensora dos interesses da população, que consiga ter alcance para rivalizar com os meios de comunicação empresariais que pertencem a oito famílias no Brasil (Globo, SBT, Record etc).

O comunicador Vito Gianotti, desde os anos 80, chamava a atenção que se os movimentos populares se unissem na produção de notícia conseguiriam enfrentar esses grandes grupos de comunicação.

Muita água rolou desde então e a experiência do jornal Brasil de Fato (BDF), criado em 2003, hoje possui redações em oito estados, produzindo o jornal impresso gratuito, programas de rádio e conteúdo para redes sociais. Sobre a pergunta se temos uma comunicação da esquerda, a resposta é: sim! E o BDF não é a única expressão disso. Mas ainda precisamos conscientizar sobre a necessidade de recursos, estrutura e profissionalização dos meios de comunicação alternativos e populares.

No Paraná, o Brasil de Fato lança a campanha “Mantenha o Brasil de Fato Paraná nas ruas” como forma de, neste momento da luta dos trabalhadores contra a perda de direitos, aumentar o número de exemplares e contornar as dificuldades financeiras, levando às pessoas informação sobre direitos trabalhistas e de diferentes setores sociais.

Podem dizer que os veículos impressos estão com os dias contados. De fato, vários veículos da mídia comercial têm fechado as portas. Porém, 50% da população no Brasil ainda não acessa a internet todo o tempo; em um país de baixa cultura de leitura, a comunicação impressa é um alimento necessário.

Outro ponto é a comunicação da esquerda preocupar-se com o formato e com a linguagem mais acessível. Como ensinou o pesquisador Adelmo Genro Filho, um jornalismo de dados, que tenha a situação concreta e singular como ponto de partida de uma notícia. O que é oposto a um jornalismo apenas opinativo.

Contribua com o Brasil de Fato Paraná! Por uma visão popular do Brasil e do mundo!

*Coordenador político do Brasil de Fato Paraná

Edição: Redação PR