Esporte

Natalenses se preparam para acompanhar a Copa do Mundo de Futebol Feminino

Com transmissão dos jogos da Seleção Brasileira, bar de Natal pretende reunir torcida

Brasil de Fato | Natal (RN)

,
Seleção Brasileira busca título na França / CBF

Na próxima sexta-feira (07), tem início a Copa do Mundo de Futebol Feminino de 2019. O torneio acontece a cada quatro anos e reúne 24 países. Neste ano, a disputa será na França. Esta é a primeira vez – desde 1991, quando foi realizado o primeiro Mundial de Futebol Feminino – que uma emissora de televisão aberta irá transmitir os jogos da Seleção Brasileira.

A torcida natalense poderá acompanhar os jogos no La Luna Bar e Petiscaria, estabelecimento voltado para o público LGBT no bairro de Neópolis, que estará transmitindo os Jogos da Seleção Brasileira. O início da programação será neste domingo (09), com a exibição da estreia da seleção no Mundial contra a Jamaica, às 10h30.

Nesta primeira partida, o La Luna abrirá às 10h para exibição do jogo e seguirá com programação cultural até as 18h. Além da transmissão e das atividades, todos os jogos do Brasil terão bolão com brindes para os vencedores.

O La Luna também fará as transmissões dos próximos jogos, contra a Austrália, na quinta-feira seguinte (13), às 13h e contra a Itália, no dia 18, às 16h. A programação do bar incluirá os demais jogos na medida em que a participação da Seleção Brasileira avançar no campeonato. A final acontece no dia 7 de julho.

A iniciativa do bar natalense faz parte da campanha "Jogue Como Uma Garota", desenvolvida em 21 cidades brasileiras, com bares oficiais transmitindo os jogos. A articulação é proposta pela marca de camisetas PEITA e o coletivo Jogamiga, de futebol feminino. 

"Pra nós, é de uma responsabilidade ímpar nos envolver com essa campanha e fomentar a visibilidade da Copa feminina aqui em Natal. Somos mulheres atuando num mercado majoritariamente comandado por homens e enfrentamos as opressões do machismo no nosso trabalho todos os dias. Precisamos quebrar padrões e mostrar ao mundo que nós, mulheres, podemos ser o que quisermos, inclusive jogadoras de futebol", afirma Shirley Souza, que está à frente do La Luna ao lado de Vanessa Souza. 

"Também precisamos torcer para mostrar nosso apoio no ano da primeira transmissão da Copa feminina ao vivo na TV aberta, no país do futebol, mas que proibiu as mulheres de praticar esse esporte entre 1941 e 1979", reforça Vanessa. A programação para os demais jogos será divulgada em breve nas redes sociais do bar.

Edição: Marcos Barbosa