Futebol

Mulheres se unem para assistir à Copa do Mundo Feminina

Se juntas já causam, imagina juntas! Confira alguns eventos que acontecem em Minas Gerais

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,
"É um momento histórico levar o rosto das mulheres para o futebol. Neste esporte só fala dos mesmos nomes, que são de homens", diz torcedora / Foto: Creative Commons

É aquela história: imagina que lindo ver mulheres, junto de outras mulheres, torcendo por mulheres na Copa das mulheres! A empolgação é grande porque apesar desta ser 8ª Copa do Mundo de Futebol Feminino da FIFA, é a primeira vez que o torneio será exibido em TV aberta no Brasil. Os jogos começam nesta sexta-feira (7) e vão até o dia 7 de julho, na França. A seleção canarinha estreia contra o time da Jamaica, no domingo (9), a partir das 10h30.

"É um momento histórico levar o rosto das mulheres para o futebol. Neste esporte só fala dos mesmos nomes, que são de homens, além de ser uma atividade que reproduz inúmeras violências contra nós”, relata Letícia Peret, da Marcha Mundial das Mulheres, um dos movimentos que organizam transmissões em Belo Horizonte. O encontro acontece na Casa Socialista, às 9h. Letícia conta que é para ir todo mundo – homens, meninas, meninos, crianças –, pois a ideia é celebrar, movimentar a cidade e os espaços públicos.

"Precisamos debater e desfazer essa ideia de que futebol é uma coisa só masculina. As mulheres jogam e também assistem. E isso tudo é um incentivo para as nossas esportistas enxergarem que apesar de todas as dificuldades que enfrentam, existe uma luz. Porque se uma profissão é vista como ‘dos homens’, a gente fica desestimulada a aprender mais, a seguir naquela carreira".

E é verdade, as mulheres jogam e assistem muito futebol. Natália Andrade faz parte do núcleo mineiro do Movimento Feminino de Arquibancada, que representa mulheres torcedoras e amantes do esporte de todo o país. Elas se juntam sempre que possível para analisar, discutir sobre seus clubes e curtir os jogos.

Natália salienta que apesar da transmissão ser um avanço, segue necessário lembrar da falta de incentivo e do descaso da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). "O Vadão [técnico da seleção feminina] perdeu os últimos nove jogos e está levando o time para a Copa do Mundo. É impossível isso acontecer na Seleção masculina, que troca de técnico quando perde a Copa América. Já a Emilly Lima, que era uma treinadora que tinha um projeto consistente a longo prazo, perdeu quatro jogos e foi demitida", reflete. O receio, segundo a torcedora, é que caso a comissão técnica fracasse, a culpa recaia sobre as jogadoras. 

“Fora isso, é muito legal ver tanta mulher se reunindo para acompanhar o futebol feminino, apoiando, cobrando valorização. Essa união importa muito, são mulheres por mulheres”, comemora Natália.

ESCOLHA UM LOCAL / TRANSMISSÃO BRASIL X JAMAICA

Ouro Preto | DCE da UFOP (embaixo do RU), 9h30

Viçosa | Bar do Cabelo (av. Santa Rita, 07), 10h

Juiz de Fora | DCE da UFJF, 9h30

Belo Horizonte | Casa Socialista (av. Bernardo Monteiro, 60), 9h

Você sabia?


  • A brasileira Marta é a maior artilheira da história da Copa do Mundo, com 15 gols. A jogadora tem 33 anos, está em atividade e vai disputar a Copa da França 2019.

  • A equipe de transmissão da Copa aqui no Brasil também será formada, em sua maioria, por mulheres. Embora o narrador seja homem, as repórteres, comentaristas e produtoras serão elas.

Edição: Wallace Oliveira