violência

Polícia realiza abordagem truculenta em ocupação de Curitiba

Moradores afirmam que violência maior só foi evitada pela presença de autoridades políticas

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Moradores entre escombros após incêndio em comunidade em dezembro de 2018 / Giorgia Prates

Relatos de moradores da comunidade Dona Cida, localizada na Cidade Industrial (CIC),  periferia de Curitiba, denunciam que na noite e madrugada de ontem (10) para esta terça-feira, a Polícia Militar e a Guarda Municipal realizaram uma série de abordagens violentas, inclusive com disparos para intimidação. 

Os relatos da comunidade são que a PM perguntava sobre o incêndio provocado pela própria corporação no dia 07 de dezembro do ano passado, onde 200 casas foram destruídas e um jovem assassinado.

A presença rápida de autoridades políticas no local, de acordo com moradores, evitou ações ainda mais violentas por parte da polícia. Ainda afirmam que em semanas anteriores, abordagens truculentas também ocorreram com a polícia invadindo as casas. Em todas essas situações, não fica claro o motivos das ações da PM, que ainda não retornou  a solicitação da redação do BdF.

Casas incendiadas

No dias 07 de dezembro de 2018, a Polícia Militar de Curitiba passou o dia agindo de forma repressiva na Ocupação 29 de março e Dona Cida, no CIC, em Curitiba. Isso se deu logo após a morte de um policial nas proximidades.

A partir das 22h, policiais começaram a entrar dentro das casas. Logo após foi ateado fogo que se alastrou queimando casas e fazendo feridos. Por parte da justiça, ainda não houveram resoluções sobre o caso.

 

Edição: Redação