GREVE GERAL

Na Paraíba, mais de 26 categorias paralisam neste dia 14 contra perda de direitos

Atos acontecem em 50 cidades do estado; ônibus, trens, comércio, bancos e escolas não funcionam sexta (14)

Brasil de Fato | João Pessoa (PB)

,
Em João Pessoa, paralisações acontecem pela manhã, e à tarde, às 15h, o ato público acontece na Lagoa / Divulgação

"A sociedade não aguenta mais. O número de desempregados e de desalentados, quando somados aos subempregados, bate os 28 milhões fora do mercado de trabalho formal. Esse é um número assustador e nós avaliamos que está acontecendo uma grande tragédia”, afirmou o presidente da Central Única das Trabalhadoras e Trabalhadores da Paraíba, Paulo Marcelo. E é com esse sentimento de indignação e de justiça que trabalhadoras e trabalhadores em todo o Brasil se juntam às ruas neste dia 14 de junho para a Greve Geral. Essa atividade vai parar as atividades produtivas brasileiras e, na Paraíba, não será diferente. Um setor importante que aderiu à Greve, foi o dos estudantes, professores, técnicos e funcionários das instituições de ensino superior, médio, fundamental e até mesmo do setor privado.

O ponto principal dessa greve é a luta contra a Reforma da Previdência, mas outras questões entram na pauta de reivindicações como os ataques à educação, os níveis de desemprego crescente e a entrega do patrimônio público do país. Outro sentimento que move os organizadores da Greve, é a indignação revelada pelos vazamentos recentes de conversas entre, o ex - juiz federal,Sérgio Moro, e o procurador da República, Deltan Dallagnol, responsável pela Operação Java Jato, que prendeu o ex- presidente Lula. 

Em João Pessoa, nesta quinta (13), uma coletiva de imprensa foi convocada para acontecer na CUT, a partir das 10h, onde as informações das paralisações e mobilizações, que acontecem no estado da Paraíba, serão divulgadas. E as atividades seguem na quinta (13), com a realização de uma plenária conjunta entre as centrais sindicais, movimentos sociais e partidos políticos que organizam a Greve. O evento será na Federação das Trabalhadoras e Trabalhadores na Agricultura (Fetag), a partir das 17h30, que fica localizada na Rua Rodrigues de Aquino, 944, no bairro de Jaguaribe. Nela, serão compartilhadas as leituras da situação da greve em todo o Brasil.

Desde segunda (10), várias atividades de panfletagem foram realizadas na capital paraibana chamando a atenção da população para a Greve Geral. Aqui na Paraíba, além do movimento sindical, como a Central Única dos Trabalhadores e a Central dos Trabalhadores do Brasil, estão envolvidos os movimentos sociais e partidos que compõem as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. Em João Pessoa, um comando de greve foi constituído para pensar e organizar o ato de rua, que será realizado na tarde do dia 14, a partir das 15h, no centro da cidade, mais precisamente na Lagoa.

Na Paraíba, algumas categorias já anunciaram que vão parar suas atividades, são elas: professores e trabalhadores das redes de ensino municipais, estaduais, federais e particulares; estudantes; bancários; trabalhadores da construção civil; comerciários, Incra; Ibama; TRE; TRT; Justiça Federal; Ferroviários; Limpeza Urbana; Cagepa; Correios; Setor de Telecomunicações.  

Atos vão acontecer em torno de 50 cidades paraibanas, confira a seguir alguns locais de concentração:

João Pessoa – Paralisações pela Manhã, ato às 15h, na Lagoa.

Cajazeiras – está fazendo um processo de preparação com carro de som nos bairros. Os dois seguimentos que estão mais mobilizados são saúde e educação. Os comerciários também estão envolvidos. A mobilização envolve cidades da região e ato acontece no centro da cidade. A partir das 8h da manhã, a concentração será na praça Coração de Jesus, panfletagem em todo o comércio Cajazeirense, com carro de som. Todos de Preto. Finalizar com uma quadrilha junina em defesa da Aposentadoria. Durante à tarde, a partir das 17h, terá um Sarau Pelo Direito de Se Aposentar, na Praça do Leblon. Apresentações Culturais, música, dança, poesia, teatro, intercalado com falas de esclarecimento sobre o projeto de Capitalização da Previdência Social e a privatização da aposentadoria.

Guarabira - 14h: Concentração em Kiberg - Praça Lima e Moura - Centro de Guarabira; 16h - Marcha pelas ruas comerciais do centro de Guarabira; 17h: Encerramento das ações no Café com Poeira.

Rio Tinto: Passeata pela cidade. Concentração às 6h no Campus IV da UFPB, às 8h sai a passeata; às 10h, apresentação de trabalhos científicos na praça João Pessoa; meio-dia ocorrerão atividades culturais;

Sousa: Concentração as 7h na Igreja Sant’ana. Com a pergunta geradora: você trabalhador(a) quer receber o PIS PASEP, sabe que pode ficar sem? 

Sapé: Em Sapé vai ter ato na greve geral. Com uma caminhada. Quatro atrações culturais. Participarão Sapé, sobrado, Riachão do Poço e Mari.

Pedras de Fogo: Às 9h, SINTRAMS/PB - SINDICATO DOS TRABALHADORES MUNICIPAIS DO AGRESTE E MATA SUL DA PARAIBA e SINFUPI/PE – SINDICATO DOS SERVIDORES PUBLICOS MUNICIPAIS DE ITAMBÉ - Itambé e Pedras de Fogo - vão fazer ato público contra a reforma da previdência e os cortes na educação, em frente a Igreja Matriz de Pedras de Fogo.

Patos: Concentração na Praça Edivaldo Mota as 8h da manhã. Ato cultural. Depois caminhada. Categorias mobilizadas: Servidores públicos municipais param 100%; Universidade; IFPB; MST.

Atos ainda acontecem em Santa Rita, Campina Grande e em mais 40 cidades da Paraíba.

 

 



 

Edição: Heloisa de Sousa