14 de junho

Greve mobiliza milhares de trabalhadores no Paraná

Professores, bancários, metalúrgicos, petroleiros, petroquímicos e servidores públicos param em Curitiba e interior

Paraná

,

Ouça o áudio:

Caminhada pela manhã no centro de Curitiba / Giorgia Prates

Desde a madrugada desta sexta-feira, 14 de junho, milhares de trabalhadores cruzaram os braços e se mobilizaram na greve geral contra a reforma da previdência e pela manutenção de direitos em Curitiba, Região Metropolitana e no interior do Estado.

Paralisações importantes foram organizadas por petroleiros, petroquímicos, metalúrgicos, bancários, vigilantes, trabalhadores rurais, professores e servidores municipais, professores estaduais, frentistas, técnico-administrativos do Hospital de Clínicas, entre outros.

Na capital, as manifestações começaram com a paralisação de 65% da frota de ônibus e fechamento de rodovias. Entre elas a BR 116, próximo ao Contorno Sul, também a BR 476 nas imediações da refinaria da Repar, em Araucária, e a BR 277, em frente ao Campus Centro Politécnico da Universidade Federal do Paraná.

Destaque negativo foi a violência perto da Repar durante o fechamento da rodovia. Policiais rodoviários desceram armados, e tiros de bala de borracha foram dados, ao que tudo indica pela guarda municipal de Araucária. Um manifestante foi atingido no rosto e levado para o hospital.

Na manhã também começaram as manifestações, que duraram o dia todo em Curitiba. Na Praça Nossa Senhora de Salete, em frente à prefeitura, houve aula pública e concentração de servidores municipais e estaduais, que, além da luta contra a reforma da previdência, reivindicavam reajuste, pois estão com salários congelados há quatro anos.

Próximo da hora do almoço, cerca de 5 mil pessoas saíram em passeata até a Praça Santos Andrade, quando houve encontro com outros trabalhadores. Às 14h saíram em nova caminhada pelo centro da cidade, encerrando os protestos no começo da noite na Praça Santos Andrade. A avaliação dos organizadores é que, no total, cerca de 15 mil pessoas passaram pelo centro nos diversos atos do dia da greve geral. No Estado, foram mais de 60 mil pessoas participando nos atos contabilizados pelo BDF-PR.

 

No interior

Greves e manifestações ocorreram nas principais cidades do interior. O Brasil de Fato-PR recebeu relatos de atividades em Ponta Grossa, Londrina, Maringá, Foz do Iguaçu, Cascavel, Araucária, Toledo, Francisco Beltrão, Pato Branco, Apucarana, Laranjeiras do Sul, Rio Bonito do Iguaçu e Francisco Beltrão. Caso cheguem novos relatos, a matéria será atualizada.

Edição: Frédi Vasconcelos