UNIDADE MILITAR

Em dia da Independência, Maduro e Guaidó falam em diálogo

Governo realizou desfile militar, em região central de Caracas, enquanto opositores marcharam na zona leste da capital

Caracas (Venezuela)

,

Ouça o áudio:

Com pomposo desfile militar, governo comemora Dia da Independência / Prensa Presidencial

Um extenso desfile miltiar com tanques de guerra T-72, helicópteros Mi-17, baterias de misseis S-300 e o poderosos aviões de caça russos Sukhoi Su-30MK2V marcaram as comemorações do Dia da Independência da Venezuela, declarada há 208 anos. Além disso, a presença das principais autoridades do Estado foi uma mostra da unidade entre a Força Armada Nacional Bolivariana e o governo do presidente Nicolás Maduro. "Que ninguém se equivoque, porque a Venezuela tem exército e povo para defendê-la", disse Maduro em seu discurso.

O presidente pediu às Forças Armadas para seguir defendendo as autoridades legítimas."Vamos nos preparar para as batalhas que estamos tomando, não vamos ter um segundo de descanso. Estamos no lado certo da história e é hora certa para a batalha", declarou Maduro frente ao arsenal de defesa do país.

O presidente venezuelano voltou a falar em diálogo com a oposição como saída para resolver o conflito político do país. "Hoje, 5 de julho, dia da pátria, da República, dia da Venezuela faço um chamado à paz e à união nacional em todos os setores políticos, econômicos e culturais. Dentro da Venezuela cabemos todos", afirmou.

Nicolás Maduro ressaltou ainda que governo e oposição devem ceder para chegar a um acordo pacífico. "Devemos abrir mão de algo para chegar a um acordo", destacou. Ele também disse que "na próxima semana haverá boas notícias em relação ao diálogo. Sigo insistindo na instalação de uma mesa permanente de diálogo".

Guaidó confirma diálogo

Líder opositor pede voto de confiança de simpatizantes para seguir diálogando | Foto: Assembleia Nacional

No lado oposto de Caracas, opositores marcharam contra as políticas do governo. Diante de seus simpatizantes, o deputado e líder da oposição confirmou que retomou o diálogo com o governo. "Recorremos a esse espaço para enfrentá-los, para arrebatar, conseguir liberdade, conquistar espaço", ressaltou Guaidó. Um canal de notícias dos EUA mencionou que Guaidó igualmente havia confirmado o encontro a sua equipe de reportagem.

O líder da oposição pediu um voto de confiança aos seus apoiadores e anunciou que na segunda-feira (8) chegam na Venezuela alguns representantes do Grupo Internacional de Contato, formado por países europeus para mediar o diálogo entre opositores e chavistas.

Já o assessor de Segurança da Casa Branca, John Bolton, encarregado dos assuntos da Venezuela no governo de Donald Trump criticou a iniciativa de negociação. "Não pode haver um diálogo de boa fé com Maduro", escreveu Bolton em sua conta do Twitter.

Edição: Guilherme Henrique