Aposentadoria

Ato contra a reforma da previdência junta movimentos populares e Sindicatos no Ceará

Manifestantes lembram que a medida ainda passará pelo Senado

Brasil de Fato | Fortaleza (CE)

,
Manifestantes denunciaram os onze (11) deputados federais do Ceará que votaram a favor da Reforma da Previdência / Camila Garcia

Sindicalistas, representantes da Frente Brasil Popular e da Povo Sem Medo participaram, hoje (12), em Fortaleza, de Ato Contra a Reforma da Previdência, realizado em frente a sede do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), no Centro da capital. Diversas categorias participaram da manifestação, professores, assistentes sociais,  eletricitários, comerciários, trabalhadores da construção civil, servidores da previdência, servidores municipais e federais, entre outras.

Em muitas falas de indignação, os manifestantes denunciaram os onze (11) deputados federais do Ceará que votaram a favor da Reforma da Previdência na votação do primeiro turno da proposta, ocorrida no último dia 10 de julho.  Denunciaram ainda a liberação dos mais de R$ 440 milhões em emendas parlamentares, feito pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) para que deputados aprovassem a proposta. 

Para Conceição Araújo, aposentada, a aprovação da PEC 06 "é um absurdo sem tamanho, principalmente para as mulheres, aquelas que possuem a maior carga de trabalho na sociedade e terão mais dificuldade de se aposentar. Eu já conquistei meu direito, mas penso na juventude que acabou de começar a trabalhar e com essa reforma não conseguirá chegar lá."

Já Roberto Luque, servidor da Receita Federal e Coordenador Geral do Sindicato dos Servidores Públicos Federais  lembrou que a batalha ainda não terminou. "Só termina quando acaba, agora a proposta será discutida no Senado, precisamos continuar intensificando a mobilização. Temos que conversar com a população e mostrar que o golpe na democracia e a prisão de do ex-presidente Lula foram arquitetados para aprovar a reforma trabalhista e a da Previdência que escravizam as trabalhadoras e os trabalhadoras do país."

O ato terminou com falas das centrais sindicais presentes, CUT, Intersindical, CTB e Conlutas reafirmando o desejo de seguir pressionando os deputados federais e construindo a greve geral. Manifestações também aconteceram nas cidades do interior do Ceará, a exemplo do Crato, no Cariri.

Quem votou a favor da reforma no Ceará

Heitor Freire (PSL)

Genecias Noronha (SD)

Jaziel Pereira (PL)

Vaidon Oliveira (Pros)

Junior Mano (PL)

Aníbal Gomes (DEM)

AJ Albuquerque (PP)

Pedro Augusto Bezerra (PTB)

Domingos Neto (PSD)

Roberto Pessoa (PSDB)

Moses Rodrigues (MDB)

 

Edição: Monyse Ravena