entrevista

KL Jay: Racionais é a maior liderança do movimento negro brasileiro

Em entrevista, o DJ falou sobre rap, sonhos, meditação e política: Jair Bolsonaro é o “senhor de engenho da era moderna”

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

Aos 49 anos, KL Jay alimenta sonhos “que a mão pode alcançar”. “Eu quero lutar kung-fu, só quero saber me defender. Acho lindo" / Foto: Igor Carvalho

Quando perguntado se os Racionais MC’s se converteram na maior liderança do movimento negro no Brasil, KL Jay, integrante do grupo, não titubeia. “Olhando de fora, como se eu não fosse [integrante], com certeza”. O DJ justifica. “Ouvimos dos pretos, dos brancos, dos pobres e dos ricos: ‘Vocês abriram minha mente’. Os Racionais têm uma grande participação na mudança de realidade. Isso é fato.”

O maior grupo de rap do Brasil está de volta aos palcos, com uma turnê que celebra os 30 anos da união de KL Jay, Mano Brown, Edi Rock e Ice Blue. O DJ conversou com o Brasil de Fato e falou sobre diversos assuntos: meditação, kung-fu, liberdade, sonhos e política.

“As máscaras estão caindo e vão cair muito mais”, afirma KL Jay sobre os vazamentos do Intercept que escancararam a relação espúria entre o ex-juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol, protagonistas da operação Lava Jato. Sobre o presidente da República, o DJ foi enfático. “É o senhor de engenho da era moderna.”

Aos 49 anos, KL Jay alimenta sonhos “que a mão pode alcançar”. “Eu quero lutar kung-fu, eu amo kung-fu, amo. Eu vejo os caras lutando e acho muito louca essa luta, mas não quero brigar com ninguém, só quero saber me defender. Quero praticar mais meditação também”, explica.

Par KL Jay, “Sobrevivendo no Inferno” é o disco clássico do grupo “e do rap nacional”. O DJ elegeu, ainda, seu disco preferido entre todos dos Racionais.

Saiba qual foi o escolhido assistindo o vídeo com a entrevista na íntegra:

 

Edição: Rodrigo Chagas