Arte para todos

Campanha levanta fundos para Centro Cultural Periférico em Curitiba

Desde a mobilização no é “nós por nós” surge, assim, a proposta de criação do Centro Cultural Periférico.

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Vila Leonice, no bairro Cachoeira, zona norte, vive a ausência do estado, em uma região de ocupação onde não há asfalto e saneamento básico / Renato Almeida

Desde 2013 o Núcleo Periférico de Curitiba (PR) atua em bairros de grande vulnerabilidade e áreas de ocupação da capital paranaense, como com a produção do Sarau Periférico, e agora decidem dar um passo mais além na Vila Leonice, no bairro Cachoeira, divisa com Almirante Tamandaré. Diante da ausência do estado, em uma região de ocupação onde não há asfalto e saneamento básico, onde as casas não são regularizadas, houve a percepção que depender da ação estatal para um espaço cultural estaria muito longe. Desde a mobilização no é “nós por nós” surge, assim, a proposta de criação do Centro Cultural Periférico.

“A gente viu a necessidade de ter um espaço de lazer, de cultura, de entretenimento e profissionalização dentro da quebrada que tire os jovens do ócio, que possa deixar as mães irem trabalhar tranquilas sabendo que os filhos estão praticando alguma atividade , desenvolvendo alguma coisa positiva, que seja crescente para sua realização quanto ser humano e não só nas ruas em um bairro violento como é esse. Queremos dar outras perspectivas, outras realidades, com outro espaço de união da comunidade”, explica Renato Almeida, advogado e um dos proponentes do projeto

Já com mais de 60 voluntários envolvidos, serão ofertados cursos de Cinema, Teatro, Música, Dança, Yoga, Arte Circense, Hip-Hop, Artes Marciais, Curso de Inglês e Espanhol, Terapia Ocupacional, Jornalismo Popular, Assistência Jurídica e Odontológica Gratuita, dentre outras. “Em um momento de crise financeira e institucional como o que passamos pelo Brasil, as pessoas perdem o rumo e nós queremos resgatar isso com um arsenal de conhecimentos, habilidades e profissionalização para que as pessoas da vila possam pensar os problemas que as afetam e resolvê-los”, acrescenta.

Compreendendo o ataque e desmonte que a educação e a cultura passam agora, a ideia de construir a casa e uma central de comunicação popular, como se planeja, se tornou ainda mais urgente: “A cultura tem essa possibilidade, ao mesmo que é entretenimento, ela também pode ser uma ação política muito contundente e precisa. Ela se comunica por outros poros, não necessariamente um discurso formal de convencimento, mas interpelando o indivíduo de outras formas, como é necessário em um momento como esse”, finaliza Renato.

Doações

Quem quiser contribuir com a Centro Cultural Periférico, basta acessar https://www.vakinha.com.br/vaquinha/624364 e fazer sua doação em qualquer valor. Totalmente independente, o projeto se mantem apenas com os lucros das iniciativas, como a campanha,  venda de artesanato, camisetas, bebidas e alimentos em eventos de rua, rifas e festas de arrecadação.

Edição: Frédi Vasconcelos