Cinema

Vigília Lula Livre recebe estreia do documentário “A Contra República de Curitiba”

Por meio de depoimentos, documentário traz análise de momento político de extrema complexidade no Brasil

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Pronzato entrevistou integrantes da Vigília Lula Livre / Divulgação

Estreia nesta segunda-feira (12), às 17h30, na Vigília Lula Livre, em Curitiba (PR), com sessão aberta ao público, o documentário “A Contra República de Curitiba”, do diretor Carlos Pronzato. O filme se propõe a investigar os impactos das ações da chamada "República de Curitiba" na política nacional.

“Num momento político de extrema complexidade no Brasil, esta obra aborda, através de depoimentos de investigadores, cientistas políticos, sociólogos, juristas, professores, ativistas políticos e militantes de diversas correntes políticas do campo popular – inclusive com opiniões contrarias no amplo leque das esquerdas – realizadas na cidade de Curitiba, a origem e o desenvolvimento da assim denominada República de Curitiba, dispositivo político de impacto fundamental nas decisões do governo federal a partir da instalação da Lava Jato”, explica Pronzato.

A obra abarca um lapso importante da vida política nacional desde os governos petistas, passando pelas jornadas de junho, o golpe de 2016, o início das operações da força-tarefa da Lava Jato até os vazamentos dos áudios entre o juiz Sergio Moro e o procurador Deltan Dallagnol que o site The Intercept Brasil revelou para o mundo.

De acordo com o diretor, o documentário é dividido em duas partes, sendo a primeira uma contextualização sociológica, antropológica e política da construção de Curitiba como centro político da atual conjuntura, e a segunda uma análise política do Judiciário brasileiro que sustenta a Lava Jato.

Dentre entrevistados estão o professor aposentado da UFPR, Lafaiete Neves; Celso Ludwig, professor de Filosofia do Direito da UFPR; Ana Julia Ribeiro, estudante de Direito da PUCPR; Aline Luana Oliveira, da Coordenacão da Vigília Lula livre e militante do MST; Naredin Ahmad Allan, advogado e integrante da ABJD; Rodrigo Chemin, professor de Processo Penal Universidade Positivo; Janislei Aparecida Albuquerque, professora da Rede Pública Estadual do Paraná e Coordenação Estadual da APP Sindicato; Darci Frigo, Coordenador da Ong Terra de Direitos;Julia Maria da Gulabi Antifascista; Ricardo Prestes Pazello, Professor de Antropologia e Sociologia Juridica da UFPR.

Edição: Laís Melo