educação

Diretor-geral nomeado pelo MEC é expulso do Cefet-RJ por estudantes

Interventor Maurício Aires Vieira é assessor do ministro da educação Abraham Weintraub e não tem ligação com a escola

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,

Ouça o áudio:

"Fora, Interventor": assim os estudantes do Cefet-RJ expulsaram Maurício Aires Vieira da escola / Divulgação

Estudantes do Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio de Janeiro (Cefet-RJ) protestaram na manhã desta segunda-feira (19) contra a nomeação de Maurício Aires Vieira, assessor do ministro da Educação Abraham Weintraub, para ocupar o cargo de diretor-geral da escola. O interventor não faz parte do quadro de servidores da instituição.

Maurício Vieira chegou no Cefet-RJ às 8h para uma reunião, mas foi surpreendido por dezenas de estudantes que formaram uma barreira humana na diretoria da escola, impedindo a passagem. Entre cartazes e palavras de ordem, Maurício Aires Vieira deu meia volta e acabou sendo expulso do Cefet-RJ por volta das 10h, escoltado por um policial militar. "Fora interventor", protestaram os alunos. Segundo relatos, a sensação é de insegurança no campus, com o possível retorno do interventor.

Em maio deste ano, o professor Maurício Motta foi eleito democraticamente pela comunidade acadêmica como diretor. Porém, um decreto publicado em julho pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) torna legal a nomeação de um diretor-geral pro tempore "por qualquer motivo" pelo ministro da educação.

Na última quinta-feita (15), Maurício Vieira foi nomeado por Abraham Weintraub como diretor-geral do Cefet-RJ. "Estamos perplexos, muito tristes e resistentes. Não aceitamos essa nomeação desse diretor geral que não foi escolhido por nós de forma democrática”, disse Elika Takimoto, professora e coordenadora de Física do Cefet ao Brasil de Fato.

Assista Maurício Vieira sendo expulso do Cefet-RJ.

Edição: Vivian Virissimo