EUROPA

Boris Johnson perde maioria no Parlamento do Reino Unido

Para parlamentar que abandou os conservadores, premiê está "perseguindo agressivamente um Brexit prejudicial" para país

Coalizão com direitista DUP agora ficou com 319 assentos no Parlamento, contra 320 ocupados pelas legendas de oposição / Foto: AFP/PRU

O partido conservador do Reino Unido, liderado pelo primeiro-ministro Boris Johnson, perdeu nesta terça-feira (3) a maioria no Parlamento após o deputado Phillip Lee literalmente abandonar a bancada conservadora, atravessar a Casa e se sentar na fileira dos oposicionistas Liberais Democratas durante um discurso do premiê.

A coalizão dos tories com o direitista DUP (Partido Unionista da Irlanda do Norte) agora ficou com 319 assentos no Parlamento, contra 320 ocupados pelas legendas de oposição. A perda de maioria dos conservadores pode aproximar um resultado negativo para Johnson na votação de uma emenda que pretende bloquear a possibilidade de um Brexit sem acordo.

Segundo Lee, sua saída se deu porque "o governo está perseguindo agressivamente um Brexit prejudicial e diversas maneiras. Está colocando idas desnecessariamente em risco e ameaçando a integridade do Reino Unido".

Por sua vez, o premiê condenou a saída de Lee e disse que ela faz parte de um plano para os oposicionistas aprovarem a proposta que busca evitar uma saída da UE sem acordo, chamado por Johnson de "a emenda da rendição".

"Basta significa basta. O país quer isso [Brexit] feito e eles querem que o referendo [de 2016] seja respeitado. Nós estamos negociando um acordo e, apesar de estar confiante em conseguir um, nós vamos sair [da UE] em 31 de outubro sob quaisquer circunstâncias. Não haverá nenhum atraso inútil", disse o premiê.

O partido conservador do Reino Unido, liderado pelo primeiro-ministro Boris Johnson, perdeu nesta terça-feira (3) a maioria no Parlamento após o deputado Phillip Lee literalmente abandonar a bancada conservadora, atravessar a Casa e se sentar na fileira dos oposicionistas Liberais Democratas durante um discurso do premiê.

A coalizão dos tories com o direitista DUP (Partido Unionista da Irlanda do Norte) agora ficou com 319 assentos no Parlamento, contra 320 ocupados pelas legendas de oposição. A perda de maioria dos conservadores pode aproximar um resultado negativo para Johnson na votação de uma emenda que pretende bloquear a possibilidade de um Brexit sem acordo.

Segundo Lee, sua saída se deu porque "o governo está perseguindo agressivamente um Brexit prejudicial e diversas maneiras. Está colocando idas desnecessariamente em risco e ameaçando a integridade do Reino Unido".

Por sua vez, o premiê condenou a saída de Lee e disse que ela faz parte de um plano para os oposicionistas aprovarem a proposta que busca evitar uma saída da UE sem acordo, chamado por Johnson de "a emenda da rendição".

"Basta significa basta. O país quer isso [Brexit] feito e eles querem que o referendo [de 2016] seja respeitado. Nós estamos negociando um acordo e, apesar de estar confiante em conseguir um, nós vamos sair [da UE] em 31 de outubro sob quaisquer circunstâncias. Não haverá nenhum atraso inútil", disse o premiê.

Edição: Opera Mundi