Resistência

MST realiza plenária com comunicadores em defesa do Centro Paulo Freire

Atividade acontece nesta quinta-feira (12), às 18h, no Armazém do Campo do Recife

Brasil de Fato | Recife (PE)

,
São esperadas as presenças de profissionais e estudantes de jornalismo, fotografia, design, audiovisual e/ou rádio / Fabio Virgilio

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) convida comunicadores do Recife a participarem de plenária aberta para construção da comunicação em defesa do Centro de Formação Paulo Freire, no Assentamento Normandia, em Caruaru. São esperadas as presenças de profissionais e estudantes de jornalismo, fotografia, design, audiovisual e/ou rádio, que possam contribuir com a campanha de resistência a ordem de despejo efetuada pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). A plenária acontece nesta quinta-feira (12), às 18h, no Armazém do Campo do Recife, que fica na avenida Martins de Barros, 387. 

O pedido de reintegração de posse de uma área de 15 hectares no assentamento Normandia, na zona rural de Caruaru, foi autorizado pelo juiz Tiago Antunes Aguiar, da 24ª Vara Federal, afetando o terreno do Centro de Formação Paulo Freire e três agroindústrias dos assentados. O movimento deve recorrer ainda esta semana e, segundo os advogados do movimento, a Justiça espera que o movimento deixe a terra de forma espontânea até o dia 19 de setembro. Em resposta ao processo, o dirigente do MST Jaime Amorim afirma que o movimento não vai se retirar voluntariamente. Estão planejadas atividades políticas e culturais a partir deste sábado (14) na entrada do assentamento, às margens da BR-232, em Caruaru

Edição: Monyse Ravena