SAÚDE

Sarampo: doença erradicada em 2016, ressurge em Pernambuco com 14 casos confirmados

No Brasil o número de casos já cresceu 18%; saiba onde e quem deve se vacinar

Brasil de Fato | Petrolina (PE)

,

Ouça o áudio:

No Nordeste, há casos em Sergipe, Piauí, Bahia, Rio Grande do Norte, Maranhão e Pernambuco / EBC

Nos últimos três meses, foram 2.753 casos confirmados de sarampo em 13 estados. Dos nove estados do nordeste, há casos em Sergipe, Piauí, Bahia, Rio Grande do Norte, Maranhão e Pernambuco. Aqui, 357 casos estão sendo investigados e, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), 14 já foram confirmados, sendo um deles a causa de óbito de um bebê de sete meses em Taquaritinga do Norte, no Agreste. 

O vírus da doença é transmitido pelo ar e a única forma 100% capaz de evitar a doença é a vacinação em duas doses. A primeira é a tríplice viral, que protege contra o sarampo, caxumba e rubéola é dada aos 12 meses e a segunda é a tetra viral, que também previne a varicela, aos 15 meses. Com o surto da doença, a recomendação é de uma dose entre 6 e 12 meses para todas as crianças. Já para os adultos, quem tem até 29 anos deve fazer a segunda dose caso tenha feito apenas uma. E a partir dessa idade, para aqueles que não tem comprovação de duas doses ou não se lembram, é recomendado tomar uma dose. A médica de família e comunidade Erika Vasconcelos ressalta que há algumas contra indicações: “Não podem ser vacinadas as pessoas imunocomprometidas, que tem a imunidade diminuída por outro medicamento, como corticoides; pessoas que portam o vírus HIV; crianças lactentes com até seis meses; gestantes com até 20 semanas e pessoas que tiveram reação alérgica na primeira dose", explica. 

Os sintomas mais comuns do sarampo são febre, manchas avermelhadas, que começam na cabeça e vão descendo para o restante do corpo, tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite. Também é possível ter dores de ouvido, diarreia, perda de apetite, pneumonia e episódios de convulsão. Em casos muitos raros há risco de lesão cerebral e infecções no encéfalo. A vacina também pode trazer efeitos colaterais leves para até 15% do público vacinado, como explica Erika "Ela provoca uma resposta inflamatória do organismo de forma que ele mesmo produza os anticorpos necessários para combater uma possível infecção. Uma partícula específica do vírus é utilizada para que a pessoa desenvolva a imunidade. Os efeitos colaterais são, os sintomas do sarampo, como febre ou manchas pelo corpo e podem durar até três dias. Não é sarampo, justamente porque ela acabou de ser vacinada".

A vacinação vem sendo reforçada em todo o estado. De acordo com a SES, 574 mil doses foram distribuídas aos municípios, desde janeiro. Em Taquaritinga do Norte a estratégia é fazer uma varredura com 28,5 mil doses extras e imunizar o máximo da população, que hoje é de 28,7 mil pessoas. A vacina é distribuída pelo SUS e está disponível nos Postos de Saúde da Família ou Unidades Básicas de Saúde nos bairros. Basta levar cartão de vacinação, documento com foto e o cartão do SUS, que pode ser emitido no portaldocidadao.saude.gov.br ou no próprio posto.

No Recife, oito unidades de saúde ampliaram o horário de atendimento para garantir a vacinação, especialmente das crianças. Segundo a prefeitura, a cada dia, dois postos ficarão abertos até as 21h. 

Segunda-feira: Waldemar de Oliveira, em Santo Amaro e Salomão Kelner, em Água Fria

Terça-feira: Salomão Kelner, em Água Fria e a policlínica Clementino Fraga, no Vasco da Gama

 Quarta-feira: na Madalena abre a policlínica Lessa de Andrade e em Afogados e Agamenon Magalhães

Quinta-feira: abrem o Centro de Saúde Ivo Rabelo, na Cohab e Centro de Saúde Joaquim Cavalcanti, em Torrões 

Sexta-feira: Policlínica Albert Sabin, na Tamarineira e novamente a Salomão Kelner, em Água Fria. 

Além desse esquema de rodízio, na cidade existem 170 salas de vacinação, que abrem de segunda a sexta, das 8h às 17h, e fecham no horário de almoço.

Edição: Monyse Ravenna