Investigações

Operação prende quatro suspeitos de envolvimento no assassinato de Marielle Franco

Entre eles estão a esposa e o cunhado de ex-PM apontado como assassino da vereadora e de seu motorista

Leer en español | Read in English | Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,

Ouça o áudio:

A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio cumpriram cinco mandados de prisão contra suspeitos de envolvimento no assassinato de Marielle / AFP

Na manhã desta quinta-feira (3), a Polícia Civil e o Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) cumpriram cinco mandados de prisão contra suspeitos de envolvimento no assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes. Os alvos da operação são ligados ao sargento reformado da Polícia Militar, Ronnie Lessa, apontado nas investigações como assassino da vereadora e de Anderson. 

Durante a operação, chamada "Submersus", foram detidos a esposa de Ronnie, Elaine de Figueiredo Lessa, o irmão dela, Bruno Figueiredo, além de Josinaldo Lucas Freitas e Márcio Montavano. O quinto alvo dos mandados foi o próprio Ronnie Lessa, que já está preso na Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

A operação "Submersus" tenta elucidar o desaparecimento da arma que teria sido usada na execução de Marielle e Anderson. Detalhes da investigação apontam que a submetralhadora foi jogada no mar da Barra da Tijuca, zona Oeste do Rio, em ação coordenada por Elaine. A esposa de Ronnie também é a dona do apartamento onde a arma estaria junto com outros armamentos. Márcio Montavano teria tirado as caixas de armas de dentro do apartamento de Elaine, com a ajuda de Bruno Figueredo. Já Josinaldo Freitas teria contratado um barco para levar as armas até o lugar onde foram descartadas, conhecido como Quebra-Mar.

Ainda segundo informações divulgadas pela Polícia Civil, o descarte do armamento teria acontecido dias depois da prisão de Ronnie, em 12 de março. Em depoimento à Delegacia de Homicídios (DH) da Capital, um pescador contou que um homem contratou seu barco e jogou seis armas no mar. Um documento conseguido com exclusividade pela TV Globo, aponta que a Marinha utilizou sonares para encontrar os objetos no mar. Segundo os equipamentos utilizados, eram alvos com tamanhos aproximados de 50 centímetros a dois metros, e estão numa profundidade de 15 a 30 metros.

Redes sociais

Nas redes sociais, Josinaldo Lucas Freitas, apelidado de Djaca, ostenta fotos ao lado do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e de seu filho, o vereador do Rio, Carlos Bolsonaro (PSL). Ele ainda publicou fotos nas redes ao lado do vereador Marcello Siciliano (PHS), que também já foi investigado no caso Marielle. O lutador comentou, na imagem, que o parlamentar era o melhor vereador que já apoiara. Josinaldo é professor de aulas de artes marciais na região de Rio das Pedras e Muzema, na zona Oeste da cidade.

Edição: Mariana Pitasse