Opinião

Artigo | Políticas públicas de acolhimento sob ataque

Porto Alegre sediou discussões sobre sobre as políticas para as pessoas em situação de rua

Brasil de Fato | Porto Alegre (RS)

,
Roda de Conversa sobre a Desproteção Social foi realizada no dia 25 / Fotos: Digulvação MNPR

Nos dias 25, 26 e 27 de setembro de 2019, Porto Alegre sediou vários espaços de discussão sobre as políticas públicas para as pessoas em situação de rua (PSR) na cidade e no país. No dia 25/9, houve uma roda de conversa para debater a Desproteção Social às PSR no RS. Promovida por movimentos e entidades como: Frente Estadual em Defesa do Sistema Único da Assistência Social (SUAS), Conselho Estadual de Assistência Social,  Movimento Nacional da População de Rua do RS, projeto de extensão da UFRGS do curso de Serviço Social sobre movimentos sociais, CRP (Conselho Regional de Psicologia), CRESS (Conselho Regional de Serviço Social), Fórum de Usuários da Assistência Social e outros. 

Na roda foram debatidos temas sobre o fechamento e a precarização dos espaços de acolhimento institucional para as PSR no RS. Através das parceirizações, o prefeito Nelson Marchezan está precarizando os vínculos trabalhistas e diminuindo vagas. No mesmo caminho devem ir os dois abrigos Municipais: Marlene e Bom Jesus, que fazem um excelente trabalho, possibilitando que as pessoas saiam das ruas. O despejo do Abrigo Municipal de Famílias, que até agora não foi reaberto, o fechamento do Centro Pop de Esteio e outras questões. Participaram da atividade cerca de 80 pessoas do Interior e da Capital. Representantes do governo Marchezan foram convidados e mais uma vez não se fizeram presentes. O produto foi uma carta com o compromisso de luta para a implementação e defesa de um SUAS público e de qualidade, onde o Estado tenha a maior responsabilidade por gestar a política de Assistência Social.

Encontro Nacional

IV Encontro da Rede Nacional de CNR\de Rua foi realizado na capital

Nos dias 26 e 27/9, aconteceu o IV Encontro da Rede Nacional de Consultórios na/de Rua. Organização construída por trabalhadorxs de todas as equipes existentes no Brasil e com objetivo de fortalecer os profissionais desses serviços do SUS, diante de uma conjuntura política atual que vai na contramão do ideal. As equipes de CNR e de Rua articulam o cuidado das PSR na rede de saúde e em outras redes. O encontro discutiu processos de trabalho,  cuidado em saúde nas ruas do Brasil e outros temas relevantes. Estiveram presentes, aproximadamente, cem pessoas.  

Grupos de arte como o Teatro em Ação Direta Levanta Favela, o grupo de música das PSR atendidas no Serviço de Fortalecimento de vínculos de Porto Alegre e Alexandre Flores da Rocha com atividades de rodas de capoeira. Também houve uma tenda do afeto que proporcionou cuidado aos cuidadores durante os dois dias do evento. O encontro iniciou na Faculdade de Comunicação da UFRGS e foi finalizado no espaço da Escola Municipal Porto Alegre (EPA), reafirmando a importância do trabalho da escola para as PSR e sua rede intersetorial.  

Clique aqui para ler a carta.  

* Trabalhadora da política de Assistência Social em POA 

Edição: Marcelo Ferreira