Desabamento

Em Fortaleza, trabalhos de resgate às vítimas do edifício Andrea continuam

Os números oficiais informam que até o momento quatro pessoas morreram

Brasil de Fato | Fortaleza (CE) |
Voluntários e articulações como o Fortaleza Solidária estão realizando campanhas para prestar auxílio e recolher doações para as famílias.
Voluntários e articulações como o Fortaleza Solidária estão realizando campanhas para prestar auxílio e recolher doações para as famílias. - Foto: SSPDS/CE

Os trabalhos de buscas por vítimas do desabamento do Edifício Andrea seguem ininterruptamente com o revezamento de equipes do Corpo de Bombeiros. Os números oficiais informam que até o momento quatro pessoas morreram, sete já foram resgatadas com vida e mais seis estão desaparecidas, somando um total de 17 vítimas.

O vereador, Guilherme Sampaio (PT), esteve no local do desabamento e afirmou que “Nesse momento, o que nos cabe é priorizar todo o suporte ao resgate de vítimas e solidariedade as famílias que passam por essa situação desesperadora, fiscalizando as medidas e exigindo as medidas do poder público necessárias a essa finalidade”.  Guilherme Sampaio também falou sobre a importância das ações realizadas dentro da câmara após o ocorrido. “Passada essa fase, se impõe a câmara uma revisão da legislação vigente, de eventuais lacunas e a cobrança para implementação de ações de fiscalização por parte da prefeitura, para que tragédias como essa não se repitam”, finaliza.

Um grupo de vereadores está acompanhando os trabalhos de resgate às vítimas do desabamento do prédio e dando assistência no local. Além deles, uma comissão de deputados também acompanha o resgate diretamente do local.

Vistoria

A Lei nº 9.913, de 16 de julho de 2012, que dispõe sobre a obrigatoriedade de vistoria técnica, manutenção preventiva e periódica das edificações e equipamentos públicos ou privados no âmbito do município de Fortaleza foi regulamentada em 2015 pelo decreto nº 13.616, de 23 de junho de 2015.

Como ajudar

O trabalho de resgates ainda pode durar dias, por isso, voluntários e articulações como o Fortaleza Solidária estão realizando campanhas para prestar auxílio e recolher doações para as famílias do prédio e para profissionais e voluntários que estão trabalhando no resgate. Podem ser doados materiais como alimentos não perecíveis, vestuário, itens de higiene pessoal, toalhas e lençóis. As doações podem ser feitas em casas e lojas próximo ao local do acidente. Para mais informações sobre locais e materiais de doação através do site www.fortalezasolidaria.org.br.

Para a continuação dos trabalhos, o Corpo de Bombeiros também solicita à população pás, baldes de aço e óculos de proteção. Os itens podem ser entregues nos pontos de arrecadação. Para ajudar no resgate e no fluxo do trânsito no entorno do local do desabamento, a Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) orienta a população a evitar trafego próximo ao acidente, principalmente, ao longo das ruas como Tiburcio Cavalcante, Tomas Acioli, Nunes Valente, Joaquim Nabuco, Antonio Sales e Padre Valdevino.
 

Edição: Monyse Ravena