AGROECOLOGIA

Quitanda da Borborema é lançada na cidade de Solânea (PB)

Inauguração de feiras fixas, que vão vender produtos agroecológicos, aconteceu no último dia 30 de outubro

Brasil de Fato | João Pessoa (PB)

,
A rede das Quitandas da Borborema contará pontos fixos em Arara, Esperança, Queimadas, Remígio, Solânea, Campina Grande e Esperança / Reprodução

Nesta última quarta-feira, 30, no município de Solânea - PB aconteceu a inauguração da Quitandas Agroecológicas do Território da Borborema. O evento contou com a presença dos 12 municípios de que compõe a articulação em rede do Pólo Sindical da Borborema e agricultores feirantes que já faziam parte das feiras municipais agroecológicas do território, assessorada pela EcoBorborema. Esta ação foi desenvolvida pela AS-PTA, Agricultura Familiar e Agroecologia, em parceria com a rede de feirantes - EcoBorborema e os Sindicatos Rurais - que formam o Polo Sindical da Borborema. O projeto conta ainda com a parceria da Fundação Banco do Brasil – FBB, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES e o Governo Federal.

A rede das Quitandas da Borborema contará com a construção de seis pontos fixos de comercialização em Arara, Esperança, Queimadas, Remígio e Solânea. Além destes, haverá também uma unidade regional situada no município de Campina Grande e a sétima unidade na sede da AS-PTA e do Polo da Borborema, em Esperança. Nestes espaços serão fornecidos alimentos produzidos pelos agricultores familiares da região de atuação do Polo Sindical da Borborema que produzem com base agroecológica, produtos livres de agrotóxicos e quaisquer meio de produção que degrade o meio ambiente e seus ecossistemas. Tais alimentos in natura e alimentos beneficiados já são comercializados nas 12 feiras agroecológicas municipais com a marca “Do Roçado”.  

O evento foi inaugurado a partir de um processo inicial de formação e debate com os agricultores e agricultoras sobre o tema. A programação do dia iniciou com esta formação sobre a ampliação dos canais de comercialização para escoar a produção da Borborema, fortalecendo a economia familiar e pautando o projeto de agroecologia como política pública necessária. 

 

 

 

Edição: Heloisa de Sousa