Ação

Com trabalho de egressos prisionais, terrenos baldios viram jardins em Olinda

Atualmente, 1.127 egressos trabalham em órgãos públicos e empresas privadas

Brasil de Fato | Recife (PE)

,
O trabalho dos apenados é realizado por meio de uma parceria com a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH) e a gestão municipal / DIvulgação

Na cidade de Olinda, oito reeducandos, egressos do sistema prisional, transformaram pontos críticos de lixo em espaços e convivência e jardins urbanos com a ajuda da comunidade. O trabalho dos apenados é realizado por meio de uma parceria com a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH) e a gestão municipal. A ação contribuiu para limpar áreas de descarte irregular de entulhos. 

Já foram 13 pontos transformados nos bairros de Rio Doce, Aguazinha, Jardim Atlântico, Bairro Novo e Águas Compridas, entre outros. Para executar os trabalhos, os egressos participaram de um curso de paisagismo e reutilizaram pneus. Recebem um salário mínimo pelos serviços, além de assistência psicossocial e jurídica, oferecidas pelo Patronato Penitenciário, órgão vinculado à SJDH.

Atualmente, 1.127 egressos trabalham em órgãos públicos e empresas privadas. “Muitas pessoas não percebem, mas é comum ver no nosso dia a dia, os frutos do trabalho dessas pessoas que querem recomeçar longe do crime. Através de convênios de empregabilidade, os reeducandos limpam ruas, praças, praias, cemitérios e plantam árvores. É uma ferramenta para reduzir a reincidência criminal no estado”, ressalta o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico.

Edição: Marcos Barbosa